O jogador João Rafael, do Sesc RJ - Divulgação Sesc RJ
O jogador João Rafael, do Sesc RJDivulgação Sesc RJ
Por O Dia
Publicado 20/01/2018 12:00 | Atualizado há 3 anos

O projeto apresentado pelo técnico Giovane Gávio e a vontade de morar no Rio motivaram o pernambucano João Rafael a aceitar o convite para jogar no Sesc RJ depois de duas temporadas no vôlei italiano. Na sua cabeça, já estava o pensamento de que a equipe carioca chegaria forte à Superliga, o que tem se confirmado a cada jogo. Estreante na competição nacional, o Sesc é vice-líder, atrás apenas do pentacampeão Sada Cruzeiro. Disposto a confirmar a boa fase, o time do Rio volta à quadra neste sábado, às 19h, contra o Corinthians-Guarulhos, no ginásio Ponte Grande (SP), pela terceira rodada do returno.

"Sabia que o projeto era muito bom, com um time muito forte, e sempre tive vontade de morar no Rio. Isso me fez voltar ao Brasil", conta João Rafael, analisando sua passagem pela Itália: "Foi essencial para a minha carreira. O nível é muito alto. A cada jogo tinha que fazer uma coisa diferente porque eles estudam muito. Com o nível mais alto, meu nível também cresceu".

A confiança na força do Sesc, que garantiu vaga na elite com o título da Superliga B, já era grande para o ponteiro: "Desde o início eu achava que o Sesc tinha condições de brigar pelo título. Tem jogadores de Seleção, uma equipe bem forte e completa. E qualquer um que entrar tem condições de substituir o outro. Mas temos que manter sempre o nível lá em cima".

No primeiro turno da Superliga, o Sesc levou a melhor sobre o Corinthians por 3 sets a 1, no Rio. Neste ano, as duas equipes já se enfrentaram pela Copa Brasil, com nova vitória da equipe carioca, por 3 sets a 0. "Eles têm uma equipe muito forte. Fizeram um jogo muito bom contra o Cruzeiro. Apesar de terem perdido por 3 sets a 0, as parciais foram lá em cima (37/35, 27/25 e 25/20). Temos que estar ligados em todo mundo", alerta João Rafael.

Na quinta-feira, será a vez de disputar a semifinal da Copa Brasil contra o Cruzeiro. No último duelo entra as duas equipes, pela Superliga, a vitória foi do Sesc por 3 sets a 2. "É uma guerra jogar contra o Cruzeiro. Temos que diminuir os erros e tentar amenizar a parte ofensiva deles", avalia.

De volta ao vôlei brasileiro, João Rafael tem acumulado prêmios de melhor jogador das partidas. Mas divide os méritos com os companheiros. "Ganhei esses prêmios porque o nosso time está ganhando. Estou amadurecendo bastante. Estou jogando mais tranquilo e mais sereno", analisa o ponteiro.

No Sesc, ele também aproveita o entrosamento com o levantador paraibano Thiaguinho, seu amigo desde a base em Recife. "Jogava contra ele em Recife, nas competições de colégio. Depois, estivemos juntos na seleção pernambucana. No ano passado, ele jogou comigo na Itália. Temos uma relação muito saudável. É um irmão", destaca João Rafael.

Você pode gostar
Comentários