Morre, aos 82 anos, o delegado Hélio Vigio

Policial foi responsável pela delegacia de roubos e furtos e antisequestro. Ligado ao esporte, foi lutador de jiu-jitsu, árbitro de vale-tudo e preparador físico do Vasco

Por O Dia

Rio - Morreu nesta quinta-feira, o delegado de Polícia Civil, Helio Vigio Gomes, aos 82 anos. Vigio estava internado há 15 dias lutando contra um câncer e falência renal. A causa da morte, de acordo com a instituição, foi causa natural. O velório acontece no Cemitério Memorial do Carmo, no Caju, Zona Portuário. A cerimônia de cremação do corpo do delegado está marcada para as 15h.

Em comunicado, a Polícia Civil agradeceu os 40 anos de serviços prestados do delegado, que foi chefe de unidades especializadas como as delegacias de roubos e furtos, a antissequestro e a de combate às drogas. Vígio estava aposentado desde 2004.

Os mestres de jiu-jitsu Carlson Gracie%2C Helio Vigio%2C João Alberto Barreto e Álvaro Barreto%2C em foto postada pelo ex-lutador Carlão Barreto no TwitterReprodução/Twitter

Vida ligada ao esporte

Hélio Vígio também foi amigo e discípulo de Hélio Gracie e era faixa vermelha de jiu-jitsu, esporte que praticava. O delegado também foi atleta de vale-tudo, antes de se transformar em MMA. Também foi árbitro das primeiras lutas do UFC, em 1993.

No futebol, Hélio Vígio foi preparador físico do Vasco nas décadas de 70 e 80 e levou o colega de corporação, Antonio Lopes, para trabalhar no clube, em 1974, também como preparador físico.

Suspeita de ligações com o jogo do bicho

Na década de 80, o delegado foi afastado da Delegacia de Roubos e Furtos sob acusação de comandar o espancamento de 11 presos que tentaram fugir da carceragem.

Já na década de 90, Hélio Vigio foi investigado em casos envolvendo jogo do bicho. Seu nome estava na lista de recebedores de propina de Castor de Andrade. Nos anos 2000, foi afastado pelo então governador Anthony Garotinho.

Últimas de Rio De Janeiro