Chacina por disputa de território

DH investiga briga entre milicianos ou disputa com o tráfico na Carobinha. Treze pessoas permanecem em estado grave

Por O Dia

Rio - Agentes da Polícia Civil investigam três possibilidades para o ataque de bandidos que deixou três pessoas mortas e outras 13 feridas na Favela da Carobinha, em Campo Grande, na Zona Oeste do Rio, na madrugada de domingo. Duas delas envolvem brigas entre milicianos. Já a terceira, a disputa entre traficantes e milicianos locais.

Carlinhos Três PontesReprodução

A briga pelo comércio de drogas, gás e tv a cabo clandestina na comunidade começou em 2015. Na época, Rômulo Lacerda, conhecido como Malucão, gravou um vídeo ameaçando o principal líder de milícias do Rio, Carlos Alexandre Braga, o Carlinhos Três Pontes, de quem era subordinado.

“O Três Pontes controla os pontos de milícia da Zona Oeste e alguns da Baixada Fluminense. Na Carobinha o Malucão rompeu com ele e acabou perdendo força. Isso abriu espaço para o antigo grupo da Liga da Milícia, rival do de Três Pontes, retomar o local, no final do ano passado”, afirmou um investigador, que pediu para não ter seu nome divulgado.

MalucãoReprodução

A retomada não foi tranquila. O grupo remanescente da Liga da Justiça, que tem grande participação de policiais e ex-policiais, planejou a morte de Malucão. No dia 12 de outubro do ano passado, o cadete do Exército William dos Santos Filho foi morto por um policial militar pertencente a esta milícia, que teria confundido o carro no qual o aspirante a oficial estava com o de Malucão.

“Após esse crime, chegou uma informação de que Três Pontes teria chamado Malucão para conversar, em Santa Cruz, para oferecer ajuda. No local, ele o teria matado. Mas ainda não temos a morte dele confirmada”, disse o agente que investiga a ação dos grupos.

Então, em relação à chacina da Carobinha, entre as possibilidades investigadas pela polícia, está a que de Carlinhos Três Pontes mandou realizar um ataque para desestabilizar a milícia local que assumiu ou mesmo uma tentativa de retomada de Malucão, que não teria sido morto. Na terceira linha de investigação está a possibilidade da investida de traficantes de drogas da região do Morro da Pedreira, na Zona Norte.

NoelReprodução

“Temos informações de que os traficantes da Pedreira, liderados por Noel, estão interessados no território. É um importante ponto de controle para o roubo de cargas, perto da Avenida Brasil”, afirmou ao DIA um agente da Delegacia de Roubos e Furtos de Cargas (DRFC), citando o apelido do traficante Josélio Ferreira.

O caso está sendo investigado pela Divisão de Homicídios (DH). A Polícia Militar informou que reforçou o patrulhamento e realizou uma operação na Carobinha após a chacina, mas não houve apreensões ou prisões. No ataque de domingo, cerca de 20 homens armados dispararam contra um pagode, em direção a moradores. Treze vítimas continuam internadas em estado grave. Morreram na hora Francisco Douglas de Melo Nascimento, de 23 anos; João Vitor Tiago da Silva, 19, e Eduardo Gonçalves, 36.

Últimas de Rio De Janeiro