Guarda Municipal ainda não possui equipamentos não letais de combate ao crime

Mesmo com autorização da Justiça, em abril deste ano, permitindo que a Guarda Municipal usasse pistola de choque (taser) e spray de pimenta, os equipamentos ainda não foram disponibilizados aos agentes pelo município

Por Paulo Capelli

Justiça permite, desde abril, que agentes usem pistola de choque (taser) e spray de pimenta
Justiça permite, desde abril, que agentes usem pistola de choque (taser) e spray de pimenta -

Rio - Na campanha à prefeitura, Marcelo Crivella (PRB) disse que, se eleito, a Guarda Municipal teria uma postura mais incisiva no combate a crimes como roubos e furtos. Mas mesmo com autorização da Justiça, em abril deste ano, permitindo que a Guarda Municipal usasse pistola de choque (taser) e spray de pimenta, duas armas não letais, os equipamentos ainda não foram disponibilizados aos agentes pelo município.

Procurada, a Guarda disse que 600 agentes passam por um curso de reciclagem e que, depois de concluído, poderão usar as armas não letais. Não informou, porém, a data para o término do curso. Em entrevista ao Informe no dia 28 de abril, o Secretário de Ordem Pública, Paulo Cesar Amendola, previu que os equipamentos chegariam às mãos dos agentes ainda em maio. De lá para cá, nada.

Consulta à base

Antes de aceitar ser vice na chapa de Eduardo Paes (DEM) ao governo, Comte Bittencourt (PPS) pediu o aval da... mulher, Magda, com quem é casado há 37 anos. "Esse tipo de movimento político mexe muito com a vida (pessoal)", diz o deputado estadual.

Bloco do eu sozinho

Apostando em puxadores de votos como Crivella Filho e Wagner Montes, o PRB-RJ decidiu não se coligar com nenhum outro partido para a disputa à Câmara dos Deputados.

Ato falho

Candidato ao governo, Eduardo Paes disse no Twitter que votará em... Marcelo Trindade (Novo), seu concorrente na corrida ao Palácio Guanabara. O ato falho ocorreu quando o ex-prefeito respondeu à postagem de um internauta que escreveu: "Temos que votar no Marcelo Trindade para governador do Rio". Não se sabe se por descuido de assessores ou do próprio Paes, a resposta foi um empolgado: "Isso!!!"

Apoio aceito

Professor de Paes na faculdade de Direito na PUC, Trindade não perdoou a gafe e, gaiato, comentou: "Obrigado pelo apoio, Eduardo. Achei que seria só no segundo turno. Mas por favor deixa o MDB e toda a sua turma da velha política".

Sem transparência

Quem entra no site do Datasus, do Ministério da Saúde, para checar repasses federais para o Rio, só consegue ver as transferências feitas entre... 1996 e 2006. Mais de uma década de desatualização é brincadeira...

Cálculo

O deputado federal Pedro Paulo Carvalho (DEM-RJ) minimiza a crítica de correligionários de que a coligação com MDB, PTB e PP é prejudicial ao DEM. "É uma coligação dura para a Câmara dos Deputados, mas tem a vantagem de que se elegerão entre 11 e 13 candidatos. Melhor do que se os partidos estivessem sozinhos, cenário no qual seriam eleitos apenas dois por legenda", avalia. A atual bancada do DEM despencará de oito para três ou quatro parlamentares.

O outro nome

Após ser preterido, Marcelo Monteiro (PPL) diz que conseguiu virar o jogo e que, junto com Miro Teixeira (Rede), será o candidato ao Senado da coligação Podemos, PR, PPL e Rede.

Tiro no pé

Em tempos em que a imagem do Judiciário junto à opinião pública sofre um abalo, uma autopromoção, com reajustes salariais, é tudo de que o Supremo Tribunal Federal não precisava.

Comentários