Em ato falho, Paes atinge Cesar Maia: 'Ajeitarei as contas do estado como fiz na prefeitura'

Candidato ao governo esqueceu que, em 2009, herdou a cadeira do ex-desafeto Cesar Maia (DEM), agora aliado e candidato da coligação ao Senado

Por PAULO CAPPELLI

Momento em que Eduardo Paes diz que vai ajeitar as contas do estado
Momento em que Eduardo Paes diz que vai ajeitar as contas do estado "como fez na prefeitura". Só que, ops!, o antecessor dele na prefeitura foi... Cesar Maia (DEM), agora aliado e candidato da coligação ao Senado. -

Até poucos meses desafeto de Cesar Maia (DEM), Eduardo Paes (DEM) ainda não se acostumou à condição de aliado. Em discurso em Italva, ontem, Paes disse que, se eleito, vai "ajeitar as contas do estado". E emendou: "Essa é a minha especialidade, é o que eu fiz na Prefeitura do Rio. Vamos botar a máquina para funcionar". O candidato ao governo esqueceu que herdou a prefeitura de... Cesar Maia, agora correligionário e candidato da coligação ao Senado.

Quando diz que ajeitará as contas do estado como fez na prefeitura, Paes, de certa forma, equipara as gestões de Pezão (MDB) e Maia. O postulante ao Senado não presenciou o discurso. Encontrou-se com Paes depois, em Campos.

Chumbo trocado?

Em entrevista aqui, há 11 meses, Maia avaliou a administração de Paes: "Quis surfar os grandes eventos, e a onda o derrubou."

Em tempo

Quando Maia está no palanque, Paes é mais cordial. Em Santo Antônio de Pádua, um locutor anunciou a presença do candidato ao governo: "Com vocês, o melhor prefeito da história do Rio!" Paes tomou o microfone e, apontando para Maia, disse: "Sou o segundo melhor."

Papo de candidatos

Anthony Garotinho (PRP) nega que tenha conversado com Romário (Podemos) por telefone para combinar um cessar-fogo entre ambos com objetivo de centrar os ataques em Eduardo Paes, como o Informe publicou ontem. Já o ex-jogador apresenta outra versão. Segundo a coordenação-geral da campanha de Romário, a conversa existiu, sim.

Confiança nas alturas

Animado com as últimas pesquisas, o núcleo-duro de Paes acredita que o candidato poderá vencer a eleição já no primeiro turno. Aposta em uma desidratação de Romário e que Garotinho terá problemas com a Justiça Eleitoral.

Paes do Senhor

Para isso, Paes concentrará suas agendas no interior, onde, avalia, é pouco conhecido. Em Itaperuna, ao se apresentar a um eleitor, disse: "Prazer, Eduardo Paes". Acreditando se tratar de uma saudação, o outro respondeu: "Prazer. Paz para você também".

Diversidade

Até agora, só dois candidatos à Presidência e dois ao Palácio Guanabara assinaram o termo de compromisso proposto pela Aliança Nacional LGBTI, que visa reforçar políticas públicas em defesa da comunidade gay. Os presidenciáveis Ciro Gomes (PDT) e Guilherme Boulos (Psol) e, no Rio, Tarcísio Motta (Psol) e Marcia Tiburi (PT).

Preocupação

Na Rocinha, o deputado Marco Antônio Cabral (MDB-RJ) ouviu idosos e pessoas com deficiência que temem o fechamento do Centro de Cidadania Rinaldo de Lamare, vinculado à Secretaria Municipal de Assistência Social. Procurada pela Coluna, a pasta confirmou atraso no pagamento de terceirizados, mas garantiu que o problema será solucionado e que as atividades continuarão.

'Geraldo Brasil'

Subsecretário de Comunicação de Crivella, o também compositor Daniel Pereira gravou jingle que será usado na campanha de Geraldo Alckmin (PSDB) à Presidência. Em ritmo de vanerão, típico do Sul, a letra fala em 'Geraldo Brasil'.

Publicada aqui ontem

André Corrêa (DEM) rebate crítica de que não pede votos para Paes: "Intriga de invejoso."

Comentários