21 deputados deixarão a Alerj

A dança das cadeiras, de 30%, já é sabida antes mesmo do resultado da votação de 7 de outubro

Por CÁSSIO BRUNO

Número representa parlamentares que estão presos ou são candidatos a governador, a vice-governador, a senador e a deputado federal
Número representa parlamentares que estão presos ou são candidatos a governador, a vice-governador, a senador e a deputado federal -

Rio - De uma tacada só, a Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) mudará 21 dos 70 deputados. A dança das cadeiras, de 30%, já é sabida antes mesmo do resultado da votação de 7 de outubro. Explico: esses parlamentares estão presos ou são candidatos a governador, a vice-governador, a senador e a deputado federal. Em 2014, após a apuração dos votos, o índice do troca-troca foi de 40%.

Estão presos: Jorge Picciani, Paulo Melo e Edson Albertassi, todos do PMDB. A trinca foi alvo da Operação Cadeia Velha, braço da Lava Jato no Rio. Segundo as investigações da Procuradoria Regional da República, eles são acusados de terem recebido propina de empresas de ônibus e de lavar dinheiro sujo de corrupção.

Executivo e Senado

Pedro Fernandes (PDT) é candidato ao governo e, Flávio Bolsonado (PSL), ao Senado. Comte Bittencourt (PPS) concorre a vice na chapa de Eduardo Paes (DEM). Zaqueu Teixeira (PSD) disputa o mesmo cargo na coligação com Indio da Costa (PSD).

Os federais

São 12: Marcelo Freixo (Psol), André Lazaroni (PMDB), Wagner Montes (PRB), Dica (PR), Paulo Ramos (PDT), Pedro Augusto (PSD), Iranildo Campos (SD), Marco Figueiredo (DC), Christino Áureo (PP), Átila Nunes (PMDB), Benedito Alves (PRB) e Tio Carlos (SD).

Jogaram a toalha

Já os deputados estaduais Carlos Osório (PSDB) e Rafael Picciani (PMDB) desistiram de concorrer às eleições deste ano.

Debaixo do colchão?

A deputada estadual Daniele Guerreiro (PMDB), ex-primeira-dama de Mesquita, guarda (não é no banco) R$ 690 mil em dinheiro vivo, segundo o TSE. As notas estão em casa ou em lugar secreto. O patrimônio dela é de R$ 1,05 milhão.

Aliás...

A candidatura de Daniele para deputada federal foi barrada. Gelsinho Guerreiro (PMDB), marido e ex-prefeito, desistiu de concorrer à Alerj. O casal, então, lançou o filho, Daniel, de 22 anos, para estadual.

Tabela mantida

Após divergência anunciada pelo Informe na quinta-feira, Romário (Podemos) e Rodrigo Bethlem selaram a paz ontem à noite. Betlhem, que atuou na Subsecretaria da Casa Civil na gestão Eduardo Paes, continua na campanha do Baixinho. Em 2014, o ex-prefeito rompeu com Betlhem depois de o último ser acusado de corrupção pela ex-mulher.

Afaste-se de mim

Paes tenta descolar o nome da corrupção. Mas aliados não deixam. A deputada federal Cristiane Brasil (PTB), que disputa a reeleição, tem postado fotos com ele em redes sociais e ido a eventos. Ela é investigada por fraudes no Ministério do Trabalho.

Prestação de contas

Alckmin (PSDB) declarou ao TSE ter gasto até agora R$ 46,3 milhões na campanha. Henrique Meirelles (PMDB), R$ 45 milhões. Lula (PT), mesmo preso, R$ 20,5 milhões. Ciro Gomes (PDT), R$ 10 milhões; Marina Silva (Rede), R$ 6,1 milhões; e Guilherme Boulos (Psol), R$ 5,9 milhões

Segue...

Álvaro Dias (PODE) gastou R$ 5,1 milhões. João Amoedo (NOVO), R$ 1,3 milhão. José Maria Eymael (DC) registrou R$ 828 mil; Jair Bolsonaro, R$ 685,6 mil; João Goulart Filho (PPL) R$ 431,8 mil; e Vera (PSTU), R$ 401,8 mil. Cabo Daciolo (Patriota) ainda não prestou contas.

Comentários