Candidatos à Presidência são largados e ignorados por aliados no Rio

Quem mais sofre com o problema são Geraldo Alckmin e Álvaro Dias, candidatos pelo PSDB e Podemos, respectivamente

Por CÁSSIO BRUNO

Quem mais sofre com o problema são Geraldo Alckmin e Álvaro Dias
Quem mais sofre com o problema são Geraldo Alckmin e Álvaro Dias -

Rio - Tem candidatos à Câmara Federal e ao Senado ignorando a presença de aliados a cargos majoritários nos materiais de campanha impressos distribuídos nas ruas. No Rio, quem mais sofre com o problema são Geraldo Alckmin e Álvaro Dias, candidatos à Presidência pelo PSDB e Podemos, respectivamente.

Teoricamente, Alckmin teria dois palanques de candidatos ao governo pertencentes a partidos do Centrão: Eduardo Paes (DEM) e Indio da Costa (PSD). Alckmin descartou Indio. Resultado: o ex-governador de São Paulo não aparece na propaganda do PSD. Já Paes esnoba Alckmin. Consequentemente, candidatos do DEM e de outras siglas da aliança fazem o mesmo na publicidade.

Em branco

No Podemos, o candidato ao governo Romário e sua turma flertam com o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL). Ou seja: Álvaro Dias teve o nome e o número excluídos dos santinhos e panfletos do partido. O espaço está em branco.

Queixa ao PRB

Anthony Garotinho, que tenta o governo pelo PRP, é outro exemplo. Que o diga o PRB do prefeito do Rio, Marcelo Crivella, e da Igreja Universal. Garotinho resmungou sem sucesso nas redes sociais sobre o caso.

Pode isso, prefeito?

No evento de 40 anos do Clube do Feijão Amigo, anteontem no Rio Othon Palace, em Copacabana, apoiadores de Paes entregaram ao candidato o Plano Integrado de Turismo para o Rio. Na primeira fila entre os mais animados, estava o vice-presidente da Riotur, Lucio Macedo.

Só que...

No início da campanha, Crivella reuniu parte dos colaboradores e pediu que todos usassem o atual cenário econômico da prefeitura contra Paes no boca a boca nas ruas.

Às moscas

Não adiantou o presidente da Câmara, Jorge Felippe (MDB), pedir aos vereadores para trabalhar. Não há quórum. Nem ele tem comparecido. Está engajado na reeleição do neto para deputado estadual.

Uma vez Flamengo

Dirigentes do clube se irritaram com a atitude do presidente Eduardo Bandeira de Mello antes do jogo contra o Corinthians. Candidato a deputado federal pela Rede, ele ficou em frente ao ônibus do time para esperar a saída dos jogadores e cumprimentá-los. A imagem de Bandeira foi captada por canais de TV.

Sempre Flamengo

Os cartolas do rubro-negro acusam Bandeira de usar o clube como vitrine para promoção pessoal. Mas justiça seja feita: fiscais do TRE-RJ estiveram na Gávea e não encontraram material de campanha. Bandeira tem utilizado o azul e o laranja (cores da Rede) em sua propaganda e não vermelho e preto.

E no camarote...

O secretário estadual de Segurança Pública, general Richard Nunes, foi ver o time do coração empatar pela Copa do Brasil. Ele vestia a camisa do Flamengo e ficou em um dos camarotes do Maracanã. Alguns torcedores o reconheceram e pediram para fazer selfie.

Cabo eleitoral

O deputado estadual Carlos Osório (PSDB) esclarece que não desistiu da reeleição por te sido citado por delatores na Lava Jato: "Foi uma decisão pessoal, bem antes. Foram 10 anos na vida pública. Estou envolvido em ajudar o Alckmin e o Eduardo Paes".

Comentários