Ex-secretário de Crivella perde ação

Rubens Teixeira, ex-titular da pasta de Transportes, acusava advogado de injúria e difamação

Por PAULO CAPPELLI

Rio - Ex-secretário de Transportes do prefeito Marcelo Crivella (PRB), Rubens Teixeira (PRB) perdeu a ação na qual acusava o advogado Victor Travancas de injúria e difamação. É que, em abril, Travancas acionou Teixeira na Justiça alegando que, quando secretário, este acumulava os salários de secretário e funcionário do Banco Central, o que é proibido.

Anteontem, o juiz Guilherme Schilling Pollo Duarte, da 32ª Vara Criminal, acompanhou o entendimento do Ministério Público do Rio e entendeu que houve "mera narrativa de fatos".

Mudança de lado

Na ocasião em que deu entrada no processo, Travancas atuava ativamente contra a prefeitura. Hoje, o advogado comanda a captação de recursos do município: "O prefeito e eu estamos muito bem. O passado ficou para trás", diz.

Em nome do pai e do filho

O deputado federal Alexandre Valle (PR), que tenta a reeleição, fugiu totalmente do arco de alianças de sua coligação e apoiará, para o Senado, dois nomes alheios à sua coligação. O parlamentar tem feito material de campanha com Flávio Bolsonaro (PSL) e Cesar Maia (DEM). O primeiro, por conta da influência do pai. O segundo, pela influência do filho.

A reboque?

O PT espera que a polarização entre o petista Fernando Haddad e Jair Bolsonaro (PSL) para a Presidência acabe ajudando a alavancar o nome de Marcia Tiburi (PT) para o governo do Rio. A filósofa, que foi muito mal em seu primeiro debate na TV, na Band, demonstrou melhora na participação no SBT esta semana.

Aliás

É de olho nessa polarização que Indio da Costa (PSD) tem falado, em sua campanha ao governo, em... Lula e Bolsonaro. Indio tenta se colocar como um anti-Lula e declarou voto em Bolsonaro mesmo com seu partido apoiando Geraldo Alckmin (PSDB).

Indecisão

Um experiente político alerta que as pesquisas estão sendo superestimadas. E que o resultado apresentado por elas hoje, deverá ter significativa diferença das urnas. "O número de eleitores indecisos, que ainda não sabem em que vão votar, está muito, muito alto."

Agora é crime

Amanhã será sancionada uma lei de autoria da deputada federal Laura Carneiro (DEM) que tipifica como crime a importunação sexual em ônibus, trens e metrô. Sabe o caso do homem que ejaculou em uma mulher no transporte público em São Paulo? Se a nova lei já estivesse em vigor, ele teria que responder penalmente. O texto também prevê aumento de 1/3 da pena, em casos de estupro, quando o criminoso tiver relação íntima com a vítima (casos de pais/ padastros que abusam de filho).

Matemática de fora?

Uma carta-aberta ao Conselho Nacional de Educação (CNE) expõe a preocupação de entidades com a possibilidade de cursos de graduação Engenharia deixaram obrigar o ensino de disciplinas como Matemática e Física. Universidades como UFRJ, USP e o Conselho Regional de Agronomia do Rio (Crea-RJ) afirmam que mudança aprovada nas Diretrizes Curriculares Nacionais permite a retirada das disciplinas. "Um risco para a sociedade", diz o texto.

Comentários