Mais Lidas

Discussão sobre Bolsonaro: vereadores quase chegam às vias de fato no Rio

O atrito foi entre Felipe Michel (PSDB), apoiador do presidenciável, e Tarcísio Motta (Psol). Chefe da segurança da Câmara foi acionado

Por PAULO CAPPELLI

Tarcísio Motta (Psol) e Felipe Michel (PSDB)
Tarcísio Motta (Psol) e Felipe Michel (PSDB) -

A temperatura subiu ontem em um elevador da Câmara do Rio. Tarcísio Motta (Psol), que disputou o governo pelo Psol, e Felipe Michel (PSDB) começaram a falar sobre a eleição presidencial. Lá pelas tantas, Tarcísio chamou o tucano de "oportunista" pelo apoio a Jair Bolsonaro (PSL) e disse que os entusiastas de Bolsonaro no PSDB ignoram a democracia. Ambos gritaram e ficaram com o dedo em riste. A cena de acirramento e animosidade no pequeno elevador foi presenciada por uma aterrorizada ascensorista e mais duas pessoas. O chefe da segurança da Câmara foi acionado e passou nos gabinetes dos dois vereadores para se informar sobre o ocorrido e se certificar de que os parlamentares estavam com a integridade física preservada.

Tempos acalorados

Tarcísio Motta confirmou o fato, mas minimizou a possibilidade de luta corporal: "Elevamos o tom de voz e ficamos com o dedo em riste. O elevador é pequeno e pode ter dado uma impressão mais grave a quem estava dentro, mas não houve briga nem princípio disso. Apenas uma discussão nestes tempos mais acalorados."

O Dia D

A campanha de Eduardo Paes (DEM) avalia que hoje é o 'Dia D' na corrida ao governo do Rio. "Se as pesquisas divulgadas mostrarem que o adversário Wilson Witzel (PSC) está mais de dez pontos à frente do ex-prefeito, A situação é delicadíssima. Mas se a diferença for de até dez pontos, como no caso de 55% a 45% para Witzel, a eleição será decidida no fotochart, como numa disputada corrida de cavalos", diz uma raposa política.

Justificativa

"A diferença de até dez pontos revelaria que a curva de crescimento do Eduardo está se mantendo e que, até domingo, ele deverá estar bem próximo à pontuação do juiz", analisa.

Tic-tac, tic-tac, tic-tac

A possível melhora de Paes também é registrada em pequisas internas de Witzel. O núcleo do ex-juiz acredita, porém, que como a eleição será no próximo domingo, não há tempo hábil para uma virada.

O voto do interior

Nas pesquisas mostradas a Witzel, Paes tem crescido com consistência na Região Metropolitana. Já no interior, o ex-juiz continua com ampla vantagem sobre o adversário. E é neste fator que aposta para permanecer na liderança.

Privilégio

Para provar que não é réu em processo criminal, Paes fez filmagem dentro da 16ª DP, na Barra. No vídeo divulgado nas redes, policiais aparecem concedendo três certidões de 'nada consta' ao ex-prefeito. Ocorre que, segundo site do Detran, a requisição de 'Atestado de Antecedentes' deve ser feita pela internet ou presencialmente no Instituto de Identificação Félix Pacheco. Não em delegacias. A liberação dos papéis intrigou um colaborador da Coluna.

Segue

Procurada no fim da tarde, a Polícia Civil reconheceu que tais certidões não são concedidas em delegacias, mas não informou se abrirá sindicância ou processo administrativo para punir os agentes da 16ª DP.

Entrevista

Por conta de um problema técnico, o programa Jogo do Poder que contou com a participação de Eduardo Paes no último domingo será reexibido hoje, às 23h, na CNT. A convite do apresentador Ricardo Bruno, a Coluna participa da entrevista.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários