Ex-motorista de Flávio Bolsonaro fica em imóvel na Barra

Para o QG de Fabrício José Carlos de Queiroz, vão sempre um advogado e um contador. Neste momento, o grupo faz um pente-fino nas movimentações financeiras atípicas de R$ 1,2 milhão identificadas pelo Coaf

Por CÁSSIO BRUNO

Fabrício José Carlos de Queiroz, ex-motorista do deputado estadual Flávio Bolsonaro (PSL), prepara a sua defesa. Ele e a mulher, Márcia, se isolaram em um apartamento na Barra da Tijuca. O imóvel da família é bem diferente da casa simples onde mora, na Taquara.

Para o QG de Queiroz, vão sempre um advogado e um contador. Neste momento, o grupo faz um pente-fino nas movimentações financeiras atípicas de R$ 1,2 milhão identificadas pelo Coaf. Por enquanto, Queiroz não dará qualquer justificativa pública sobre a entrada e a saída do dinheiro da conta. Pelo menos até o seu depoimento para o Ministério Público.

Compra e venda

Quem conhece Fabrício de Queiroz sabe bem de suas atividades extras. Ele compra e vende carros e ainda comercializa roupas, relógios, perfumes e outros produtos de grifes repassados por um sobrinho que mora nos Estados Unidos.

Mas foram

Queiroz ficou surpreso quando o caso ganhou repercussão. Nunca imaginou que um dia as suas transações financeiras fossem identificadas.

Crise? Que crise?

A Prefeitura do Rio publicou no Diário Oficial o aluguel de carros por meio de três contratos que chegam a R$ 4,7 milhões. Mas não informa quantos veículos e nem o período da locação.

Segue...

Só a Empresa Brasileira de Engenharia e Comércio receberá R$ 4 milhões. Já a G3 Polaris Serviços, R$ 704,6 mil.

Seguir viagem

E tem mais. No mesmo DO, a prefeitura pagará mais R$ 120 mil a Facto Turismo Ltda. para "prestação de serviços de agenciamento de viagens".

A toque de caixa

O deputado Bruno Dauaire (PRP), relator da comissão que analisará a denúncia de impeachment contra o governador Luiz Fernando Pezão (MDB), promete concluir o relatório em "tempo recorde".

PTB na mira

A procuradora-geral Raquel Dodge pediu para aprofundar as investigações sobre o repasse de R$ 20 milhões ao PTB por Aécio Neves, em 2014, em troca de apoio. À época, a deputada federal não reeleita Cristiane Brasil era presidente da legenda.

Tal pai, tal filha

Cristiane é uma das filhas de Roberto Jefferson, ex-deputado cassado e preso no mensalão.

Coincidência?

No mensalão, aliás, Jefferson também pediu R$ 20 milhões para apoiar Lula no Congresso. Mas tomou calote do PT e só recebeu R$ 4 milhões.

Encontro

O presidente em exercício da Alerj, André Ceciliano (PT), reunirá, na próxima segunda-feira, políticos num evento chamado "Agenda de Futuro". A ideia é discutir caminhos para o desenvolvimento do estado.

Mas...

Ceciliano não explicou de forma convincente a movimentação atípica nas contas bancárias de funcionários de seu gabinete de R$ 49,3 milhões só em 2016.

Tensão no samba

Há um clima de temor no barracão da Beija-Flor. A turma da escola acha que uma operação contra o jogo do bicho possa respingar por lá em breve.

 

Comentários