Mais Lidas

Filho de Garotinho eleito deputado negocia ida para PSD de Kassab

Wladimir está atualmente no PRP, mas se aproxima de partido cujo presidente nacional é investigado pela Lava Jato. Ex-governador pode ir para o PROS

Por CÁSSIO BRUNO

Os deputados federais e irmãos Wladimir (PRP) e Clarissa (PROS) com os pais e ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus
Os deputados federais e irmãos Wladimir (PRP) e Clarissa (PROS) com os pais e ex-governadores Anthony Garotinho e Rosinha Matheus -

Rio - Filiado atualmente ao PRP, o deputado federal Wladimir Garotinho negocia a ida para o PSD de Gilberto Kassab, investigado na Lava Jato. O filho do ex-governador Anthony Garotinho estava de malas prontas para o PSC, com o aval do presidente nacional do partido, pastor Everaldo. O governador Wilson Witzel (PSC), porém, vetou.

A saída de Wladimir é porque o PRP não atingiu a cláusula de barreira. A mudança para o PSD tem articulação do deputado Hugo Leal, secretário de Administração no governo Garotinho e presidente do Detran na gestão Rosinha, esposa do ex-governador. Wladimir não é bem-vindo para alguns deputados das bancadas estadual e federal.

E o little boy?

Já Garotinho, que também deixaria o PRP para embarcar no PSC, se aproximou do PROS, partido onde sua filha, a também deputada federal Clarissa, está filiada.

Mas nada muda

Caso pai e filho não sigam mesmo para o PSC de Witzel, isso não quer dizer que a família perca força no governo. Pelo contrário. Os Garotinhos têm indicado nomes para vários cargos.

2020 é logo ali

Como a coluna já contou, Wladimir Garotinho planeja disputar a prefeitura de Campos com apoio de Witzel. O pai e a mãe são ex-prefeitos de lá.

Medalha cassada?

A ala feminina do PSOL, na Alerj, apresentou um projeto de resolução para cancelar a Medalha Tiradentes concedida ao ex-capitão do Bope Adriano Magalhães da Nóbrega pelo ex-deputado Flávio Bolsonaro (PSL), hoje senador.

Extermínios

Foragido, Nóbrega é acusado de chefiar o Escritório do Crime, grupo suspeito de participar de vários assassinatos no Rio, inclusive o da vereadora do PSOL, Marielle Franco.

O trio

Quem assina a proposta são as deputadas Renata Souza, Dani Monteiro e Mônica Francisco.

A novela VLT

Marcelo Crivella (PRB) anunciou a retirada dos ônibus do eixo rodoviária-Centro que serviria para acalmar os ânimos da turma do VLT, com quem o prefeito do Rio tem uma dívida de R$ 110 milhões.

Segue...

A saída dos coletivos aumentaria o volume de passageiros no VLT, que, assim, ganharia fôlego para pôr a Linha 3 (Central-Santos Dumont) em funcionamento.

Mas...

Até agora nada aconteceu. O VLT segue sem data para abrir a linha 3 e ainda pensa em paralisar o serviço nas outras linhas. A empresa está em situação próxima da falência por causa das quebras de contrato e a dívida que não para de crescer.

Efeito Ninho do Urubu

Crivella autorizou contratar a Storz Assessoria e Consultoria, por R$ 109,8 mil, para elaborar as especificações do sistema de combate a incêndio dos prédios do Centro Administrativo São Sebastião.

É bom lembrar

Toda a sede da prefeitura não tem o habite-se.

Briga pelo poder

Não é bom o clima entre a secretária municipal de Transportes, Virgínia Salerno, e o novo presidente da CET-Rio, Joaquim Dinis. Ambos não se falam.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários