Mais Lidas

Flávio Bolsonaro afasta irmã de milicianos da Executiva do PSL do Rio

Valdenice de Oliveira Meliga, a Val, então nomeada no gabinete do senador na Alerj, quando ele era deputado, assinava cheques de despesas de campanha do parlamentar

Por CÁSSIO BRUNO

Flávio Bolsonaro obteve no STF a suspensão da quebra de seu sigilo bancário
Flávio Bolsonaro obteve no STF a suspensão da quebra de seu sigilo bancário -

Em meio à crise protagonizada pelo ex-assessor Fabrício Queiroz, o senador Flávio Bolsonaro iniciou ontem mudanças na Executiva estadual do PSL, onde é presidente. Ele afastou Valdenice de Oliveira Meliga, a Val, então tesoureira e irmã dos gêmeos Alan e Alex Rodrigues de Oliveira, policiais militares presos na Operação Quarto Elemento, que investiga quadrilha de PMs especializada em extorsões. Val também assinava cheques de despesas da campanha de Flávio.

Ele retirou ainda Lídia Cristina dos Santos Cunha, secretária-geral. Em 14 de dezembro de 2018, a Coluna revelou que Val e Lídia, nomeadas no gabinete de Flávio na Alerj, nunca iam lá porque ficavam na sede do partido, no Recreio.

Os substitutos

No lugar de Val, assume o deputado estadual Anderson Moraes, que pretende disputar a Prefeitura de Nova Iguaçu pelo PSL.

Segue...

Para o posto de Lídia, Flávio nomeou a deputada estadual Alana Passos. Ela tem declarado ser a candidata de Jair Bolsonaro à Prefeitura do Rio.

Afaste-se de mim

Val e Lídia, por enquanto, não foram nomeadas no gabinete de Flávio no Senado. Val, aliás, perdeu a presidência do diretório municipal do PSL. E foi se queixar ontem, em Brasília, com a cúpula nacional do partido.

O coronel

O filho mais velho de Jair abriu espaço na Executiva do PSL também para seu chefe de gabinete no Senado: Coronel Braga, que, agora, é vice-presidente estadual da legenda.

Irregulares

Vale lembrar: o PSL está irregular com o CNPJ em 53 das 73 cidades do estado onde tem representatividade. Ou seja: não poderia disputar as eleições de 2020 nesses municípios.

Enquanto isso...

Amigo de Flávio Bolsonaro, o deputado Rodrigo Amorim (PSL) apresentou um projeto de lei na Alerj que cria o... Dia Estadual de Combate à Lavagem de Dinheiro.

Será?

E sobre a confusão com Alexandre Knoploch, publicada ontem aqui, Alana Passos evitou comentar: "É igual a time de futebol: briga, briga, briga, mas todos vestem a mesma camisa".

Que isso, Excelência?

Não foi apenas uma vez: o deputado estadual Alexandre Freitas (Partido Novo) sempre fura a fila do elevador comum da Alerj, sem nem cumprimentar as pessoas. Ontem, idosos ficaram perplexos com a atitude.

Ninho tucano

O governador João Doria (SP) sonha ter Paulo Marinho, suplente de Flávio Bolsonaro, na Presidência do PSDB no Rio.

Quem?

Marinho emprestou sua casa, no Jardim Botânico, para gravar programas eleitorais da campanha de Jair Bolsonaro. É influente na sociedade carioca.

Saiu aqui

O senador Arolde de Oliveira foi confirmado no comando do PSD.

Alô, é o Crivella?

A Prefeitura do Rio contratou, sem licitação, a Datamétrica Contact Center por R$ 6,9 milhões para... operar a central 1746!

Também sem licitar

Na Educação, a prefeitura pagará R$ 12 milhões à Netcenter para receber suporte de informática.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários