Conselheiros afastados mantêm assessores de confiança em cargos no TCE-RJ

Entre os nomeados, está prima de ex-presidente do tribunal. Prisões ocorreram em 2017

Por CÁSSIO BRUNO

O ex-presidente do TCE-RJ Aloysio Neves sendo preso em 2017
O ex-presidente do TCE-RJ Aloysio Neves sendo preso em 2017 -

Conselheiros do Tribunal de Contas do Estado (TCE-RJ) afastados após serem presos na Quinto de Ouro continuam com equipes de confiança nomeadas no órgão. Alguns exemplos. Horácio de Almeida Amaral, então assessor especial de José Gomes Graciosa, recebe R$ 25.930,77 (líquidos), mas não tem função atualmente. O pai de Horácio, Ricardo Montebello Amaral, com salário de R$ 26.396,46, está na mesma situação do filho. A prima de Graciosa, Lúcia Bonfatti, trabalha na Coordenadoria de Engenharia e Projetos de Obras e Instalações, com vencimentos de R$ 12.914, 95, como revelou neste sábado a Coluna.

ASSESSORES DE NEVES E BRAZÃO NA ATIVA

Dara Aisha Ferreira de Oliveira, então lotada no gabinete do ex -presidente do TCE-RJ afastado Aloysio Neves é subordinada, agora, ao auditor substituto Marcelo Verdini Maia. Dara tem salário de R$ 8.723,18 e é filha de Walter Luiz Pinto de Oliveira, ex-secretário geral da Mesa Diretora da Alerj. Citado nas investigações do caso da vereadora Marielle Franco, Gilberto Ribeiro da Costa, que estava no gabinete do ex-vice-presidente Domingos Brazão, trabalha para um procurador do tribunal. Recebe R$ 13.071,36

SUSPEITOS DE PARTICIPAREM DE CORRUPÇÃO

Em nota, a atual presidente do TCE-RJ, Marianna Montebello Willeman, informa que “os conselheiros estão afastados provisoriamente” pela Justiça, “mas não perderam os cargos”. O único gabinete desfeito foi o de Jonas Lopes, delator da Lava Jato, que se aposentou. Esclarece que as indicações são dos próprios conselheiros. Ontem, a Coluna mostrou que os ex-deputados Jorge Picciani e Paulo Melo, ambos do MDB e presos, têm familiares nomeados no órgão. Cinco conselheiros foram presos em 2017 suspeitos de corrupção.

BANCADA DA BALA SEM PORTE DE ARMA

Deputados estaduais estiveram recentemente no Clube Colt 45. Foram dar uns tiros para relaxar. Participaram Marcelo do Seu Dino, Alexandre Knoploch e Rodrigo Amorim. O trio é do PSL. Além deles, estão Alexandre Freitas (Partido Novo) e Jorge Felippe Neto (PSD). O grupo se autodefine como “bancada da bala”. Aliás, a Alerj, é bom lembrar, rejeitou dar porte de armas aos parlamentares.

EDITOR DE DIÁRIO OFICIAL DEMITIDO

O jornalista Marco Antônio da Costa, editor do Diário Oficial da Prefeitura do Rio, foi exonerado na sexta-feira. Ele é a primeira vítima das mudanças na área de divulgação das ações de Marcelo Crivella (PRB).

SAÍDA DE COSTA FOI APÓS AÇÃO

Como a Coluna mostrou no dia 17, Leandro Lyra, autor do pedido de impeachment de Crivella na Câmara, entrou na Justiça para tentar afastar prefeito por uso de dinheiro público para fazer autopromoção.

CRIVELLA E O PP DE DORNELLES

Haverá uma renovação no PRB, feudo da Igreja Universal, para as eleições de 2020. E Crivella tem mantido um namorico com o PP, do ex-vice governador Francisco Dornelles. Tem evangélico irritado.

INVESTIGADO NO CONSELHO

Fábio Marcelo Andrade, excorregedor da Seap, tem prestígio. Exonerado por suspeita de grampo ilegal (há uma sindicância), ainda faz parte do Conselho Estadual de Segurança. Hoje, ele está lotado na Governadoria.

EM CONDOMÍNIO DE LUXO

Guilherme Afif Domingos é vizinho de sala de Paulo Guedes, ministro da Economia. Afif é sócio de empresas alvos do MP por construções em reserva biológica.

PICADINHO

Comissão de Minas e Energia da Alerj promove, na terça-feira, audiência pública para apurar os serviços prestados pela Light.

‘Ativação Cultural’ volta com atividades gratuitas em praças e escolas municipais de Itaguaí, a partir de 8 de maio.

A exposição de fotografias ‘Unidas pela Vida’ estará no São Gonçalo Shopping, no bairro Boa Vista, de quarta-feira a 30 de maio.

SOBE

ARLINDO CRUZ

Cantor e compositor voltou a se alimentar sozinho. Família publicou vídeo na internet. O artista se recupera de um AVC.

DESCE

JAIR BOLSONARO

Presidente vetou comercial do Banco do Brasil marcado por diversidade e exonerou o diretor da instituição.

Comentários