Câmara de Queimados afasta presidente

Suspeita de fraude em concurso realizado pela Casa, em 2016, culminou no afastamento do vereador Milton Campos

Por Maria Luisa de Melo

Câmara da cidade da Baixada Fluminense conta com 17 vereadores
Câmara da cidade da Baixada Fluminense conta com 17 vereadores -
Rio - Uma suspeita de fraude em concurso realizado pela Câmara Municipal de Queimados, na Baixada Fluminense, em 2016, culminou no afastamento do presidente da Casa, o vereador Milton Campos (MDB). A denúncia é de que o procurador da Câmara, identificado como Cassius Valério Teixeira da Silveira, tenha forjado um diploma de mestrado para aumentar sua pontuação e abocanhar a única vaga de procurador oferecida no certame. Segundo a Casa, a remuneração para a função gira em torno de R$ 9 mil e o documento suspeito de ser falso levaria o nome da Universidade Iguaçu (Unig).
DIPLOMA DE MESTRADO NÃO FOI ENCONTRADO
Em votação na última terça (com 11 dos 17 votos a favor), os vereadores decidiram também pelo afastamento do procurador, de um técnico em contabilidade e de uma agente administrativa, por 60 dias. Neste período, uma CPI vai apurar as suspeitas de fraude. Segundo os vereadores, a desconfiança partiu de um deles, que pediu a conferência dos documentos apresentados pelos funcionários empossados em 2016. Mas o diploma de mestrado do procurador não foi encontrado. Ele não teria apresentado o papel mesmo após sucessivos pedidos.
‘EU QUE PREFERI SAIR’, DIZ VEREADOR
Segundo o ex-presidente da Câmara, Milton Campos, os vereadores receberam o diploma de mestrado através da empresa realizadora do concurso. Mas, após contato com a Universidade Iguaçu, constatou-se que o documento não era verdadeiro. O procurador Cassius não foi encontrado para comentar o assunto. Já Campos nega que tenha sido afastado. Presidente da Câmara há 20 anos (cinco mandatos consecutivos), o vereador diz que partiu dele a iniciativa de se afastar durante as investigações: “Eu que preferi sair.”
RELATÓRIO SERÁ LIDO NA PRÓXIMA QUARTA
O relatório da comissão processante do pedido de impeachment contra o prefeito Marcelo Crivella (PRB) será apresentado na próxima quarta-feira, dia 19 - data que será publicada no Diário Oficial de hoje. No dia 25, o documento irá à votação em plenário. Para ser aprovado, são necessários 34 votos a favor, de um total de 51 vereadores. Para o presidente da comissão, Willian Coelho (MDB), a maior probabilidade é de rejeição da cassação.
DE OLHO EM NOVA IGUAÇU...

Durante a discussão de um projeto, ontem, na Alerj, o deputado Carlos Augusto (PSD) alfinetou o presidente da Casa, André Ceciliano (PT), chamando-o de Rogério Lisboa (nome do prefeito de Nova Iguaçu) várias vezes.
...LUTANDO PELO APOIO DE CECILIANO
A provocação deve-se ao fato de Carlos Augusto ser pré-candidato à Prefeitura da cidade da Baixada. Ele disputa o apoio de Ceciliano com Lisboa e também com Max Lemos (MDB), outro deputado que almeja o posto.
NO ESCURINHO DOS GABINETES
Um apagão atingiu o prédio anexo da Alerj, ontem, e irritou alguns parlamentares. Só que, antes de a falta de luz completar uma hora, metade das salas já tinha encerrado o expediente. Só pra lembrar: ainda era quinta.
‘CONFUSÃO, PRESENTE’

O Segurança Presente ainda nem começou em Botafogo, mas já causa confusão. A presidente da associação local, Regina Chiaradia, não foi à reunião do governo. Diz que vai organizar outra, sem “atrelamento político”.
PICADINHO

O Campus Barra do IBMR realizará palestra sobre psicomotricidade. Amanhã, às 8h30.

O Samba da Feira convida o grupo Molejo. Amanhã, às 17h, no Armazém do Engenhão. Gratuito. A exposição ‘Esther Moreira: Memória’ abre dia 20, no Centro Cultural Correios.
 

Comentários