Flordelis tem destino incerto no PSD após morte do marido

Presidente do partido, senador Arolde de Oliveira, afirmou que "não sabe o que vai acontecer" e nem "qual será o impacto" dentro da legenda ao longo das investigações

Por CÁSSIO BRUNO

Flordelis deve participar da votação da Reforma da Previdência
Flordelis deve participar da votação da Reforma da Previdência -
RIO - O futuro da deputada federal Flordelis no PSD ainda é incerto. O presidente regional do partido, senador Arolde de Oliveira, afirmou à Coluna que “não sabe o que vai acontecer” e nem “qual será o impacto” dentro da legenda ao longo das investigações do assassinato do pastor Anderson do Carmo, marido da parlamentar e secretário-geral da sigla. “É uma questão familiar. Vamos aguardar a apuração (do crime) e que a verdade seja revelada”, disse Arolde. Fato é que políticos do PSD têm evitado dar apoio público a Flordelis. Ninguém arrisca a falar nada sobre o assunto com receio do que pode estar por vir.

PARLAMENTAR NÃO TEM IDO ÀS SESSÕES

Desde a morte do pastor Anderson do Carmo, a deputada Flodelis não comparece nas sessões da Câmara, em Brasília. É provável, no entanto, que ela apareça apenas na votação da Reforma da Previdência, prevista para ocorrer antes do recesso parlamentar, no próximo dia 18. Dois filhos de Flordelis (um adotivo e um biológico) estão presos por suspeita de participação no crime. O Ministério Público já encaminhou ao Supremo Tribunal Ffederal cópia de partes do inquérito que tenham conexão com a deputada.

EX-ODEBRECHT ORGANIZA PSDB NO ESTADO

O presidente regional do PSDB, Paulo Marinho, diz que o partido lançará candidaturas próprias a prefeito no ano que vem em cidades com mais de 200 mil habitantes. Ele citou dois exemplos: Nova Iguaçu e Duque de Caxias, na Baixada, além da capital. A ideia é fortalecer o partido de olho na campanha presidencial de João Doria, em 2022. Marinho deu a missão de organizar a legenda nos municípios a Sávio Franco, diretor de Relações Institucionais da Federação de Futebol do Rio (Ferj) e ex- Odebrecht

SECRETÁRIO DE CRIVELLA ESTÁ DE SAÍDA

A situação do vereador Felipe Michel, recém-nomeado secretário municipal de Envelhecimento Saudável, Qualidade de Vida e Eventos, está cada vez mais insustentável dentro do PSDB. Já há uma decisão tomada: o partido não dará legenda a Michel caso ele queira concorrer à reeleição. Os tucanos são oposição ao prefeito Marcelo Crivella (PRB). Procurado pela Coluna, o secretário não retornou as ligações.

PEDIRAM A CABEÇA DO ARTICULADOR

Um abaixo-assinado, com 40 deputados, foi entregue ao presidente da Alerj, André Ceciliano (PT). Eles queriam que o petista pedisse a cabeça de Cleiton Rodrigues a Witzel, articulador político do governador.

PETISTA ATUOU PARA APAZIGUAR

Os parlamentares estão insatisfeitos com o trabalho de interlocução de Cleiton, homem de confiança de Witzel. Mas Ceciliano controlou (pelo menos por enquanto) o ânimo dos deputados rebeldes.

CRONOGRAMA PARA WITZEL

Órgão cobiçado por partidos políticos, o Departamento de Estradas de Rodagem (DER -RJ) entregará a Witzel, nos próximos dias, um relatório com o cronograma de obras nas rodoviais estaduais.

LICITAÇÃO COMEÇA NO MÊS QUE VEM

Em 6 de agosto, por exemplo, ocorrerá a licitação para obras de contenção e drenagem nos dois pontos mais críticos do trecho Capelinha-Visconde de Mauá da RJ-163: os quilômetros 15,9 e 19,5, onde houve deslizamentos.

MANIFESTAÇÃO

Autoridades de segurança já começaram a monitorar torcedores que farão hoje protesto em frente ao Maracanã contra os preços altos dos ingressos na Copa América.

PICADINHO

O Workshop ‘Produção Audiovisual Independente para Web’ é amanhã, 12h30, no Lacon, Uerj.

A Faculdade Senac RJ recebe, na terça, quatro oficinas práticas e gratuitas, de 14h a 18h. Na Rua Santa Luzia, 735, Centro.

O cineclube ‘Curta Cinema - Migrações’ é na próxima terça-feira, 19h, no Cinemaison. Entrada franca.

SOBE

MARTA

A trajetória da jogadora de futebol será enredo da Inocentes de Belford Roxo no carnaval do ano que vem.

DESCE

VEREADORA DE SÃO GONÇALO

Iza Deolinda (MDB) teve o mandato cassado. Ela já havia sido afastada em 2017, mas obteve liminar.

Comentários