Witzel quer apoio de evangélicos para candidatura à Presidência em 2022

Governador do Rio se aproxima do segmento religioso em troca de apoio à reeleição de Crivella no ano que vem

Por CÁSSIO BRUNO

Rodrigo Amorim, Wilson Witzel e Pedro Fernandes
Rodrigo Amorim, Wilson Witzel e Pedro Fernandes -
RIO - O governador Wilson Witzel (PSC) quer convencer os evangélicos (base eleitoral de Jair Bolsonaro, do PSL) de que sua candidatura à Presidência, em 2022, é viável. O primeiro alvo da estratégia é o grupo do bispo Edir Macedo, que inclui a Igreja Universal e o conglomerado de comunicação da Record. Se o plano der certo, Witzel apoiará a reeleição do prefeito Marcelo Crivella (PRB). Outras lideranças evangélicas estão na mira, como Silas Malafaia, da Assembleia de Deus Vitória em Cristo, amigo de Pastor Everaldo, chefão do PSC. Mas, caso tudo vá por água abaixo, o plano B de Witzel é Pedro Fernandes, secretário de Educação e filiado ao PSC. Ou seja: a chance de apoiar o deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL) para a Prefeitura do Rio no ano que vem é praticamente nula, conforme a Coluna já vem falando há algumas semanas. Anteontem, Amorim publicou a foto acima numa rede social parabenizando Witzel e Fernandes pelo lançamento de um projeto esportivo. “O jogo é sujo, assim como as tentativas de desestabilizar as parcerias que estão mudando o nosso Estado e o Brasil”, escreveu o deputado, aliado da família Bolsonaro.

TRISTÃO VENCE DISPUTA E FICA COM PROCON

A Coluna publicou com exclusividade, no domingo, a briga entre Lucas Tristão, secretário de Desenvolvimento Econômico, Emprego e Relações Internacionais, e Cleiton Rodrigues, titular da Secretaria de Governo e Relações Institucionais, para comandar o Procon-RJ. Pois bem. Tristão ganhou a queda de braço e comandará o órgão de proteção e defesa ao consumidor. A decisão de Witzel foi publicada ontem no Diário Oficial. Agora, Tristão terá em mãos pelo menos mais três mil cargos.

EMPRESÁRIO ENTRA EM CENA EM CPI

O secretário Lucas Tristão, aliás, está inconformado. Terá que comparecer, no próximo dia 29, à CPI do Gás, na Alerj, comandada pelo desafeto, o deputado Max Lemos (MDB). Tristão não quer sentar na cadeira da comissão para falar sobre a prestação de serviço de concessionárias do setor. Pediu ao empresário e amigo Mário Peixoto que interceda no caso. Peixoto e Lemos são do grupo do ex-deputado Jorge Picciani (MDB).

PRESSÃO EM CIMA DE PETISTA

Há na Alerj ao menos 150 pedidos de requerimentos de informações de deputados ao governo Witzel. Na volta do recesso, parlamentares vão pressionar o presidente André Ceciliano (PT) a oficializar os documentos.

PAGA FORNECEDOR, MAS FALTA MATERIAL

Deputados têm reclamado da morosidade de Ceciliano. Entre os questionamentos, estão os gastos da Secretaria de Saúde no pagamento de fornecedores e, ao mesmo tempo, a falta de material básico em hospitais.

‘VOCÊ SABIA?’ É OBRIGATÓRIO

Os administradores regionais da prefeitura do Rio, agora, terão de exibir vídeos com as realizações de Crivella em eventos públicos. E prestar contas com... Rodrigo Bethlem, coordenador da campanha de reeleição.

MISTÉRIO ESCOLAR NA BAIXADA

O prefeito interino de Japeri, Cezar de Melo (PSB), homologou licitação para comprar kits pedagógicos para as escolas por R$ 2 milhões. Três empresas fornecerão, mas... nenhuma é especializada neste tipo de serviço.

GUARDA-COSTA

O deputado estadual Filippe Poubel (PSL) divulgou ontem nas redes sociais ter pedido à Alerj reforço em sua segurança particular. O parlamentar diz sofrer ameaças.

PICADINHO

Amanhã, a coach Marie Bendelac Ururahy apresentará a palestra gratuita ‘Ética e Comunicação Não Violenta’ na ACRJ, às 15h.

O fotojornalista Evandro Teixeira participará do papo de fotógrafo no Memorial Municipal Getúlio Vargas, no sábado, às 11h.

A Feira de Artesanato ficará no Passeio Shopping até a próxima quarta-feira, dia 31. Visitação gratuita.

DESCE

EX-MINISTRO DE MINAS E ENERGIA

Edison Lobão se tornou réu na Operação Lava Jato por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

DESCE

HACKER PRESO

Walter Delgatti Neto, o ‘Vermelho’, confessou que invadiu os celulares do ministro Sérgio Moro e de outras autoridades.

Comentários