Justiça ignora pedidos de informações da Alerj

Requerimento pediu detalhes sobre salários, indenizações e auxílios, além de dados contábeis e orçamentários

Por CÁSSIO BRUNO

O plenário da Alerj
O plenário da Alerj -
Não surtiu efeito o contra-ataque da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) diante do Tribunal de Justiça. Um requerimento do deputado Alexandre Freitas (Novo), com aval da Mesa Diretora, pedia detalhes sobre salários, indenizações e auxílios de membros do Judiciário, além de dados contábeis e orçamentários. O mesmo foi pedido ao Ministério Público. Em ofício, o presidente do TJ, Cláudio de Mello Tavares, disse apenas para que o parlamentar procurasse o Portal da Transparência. “O caso mais sério é do Tribunal e mostra a falta de comprometimento que tem com a transparência e respeito com o cidadão”, disparou Freitas.

MP ENVIOU INFORMAÇÕES INCOMPLETAS

O MP respondeu as 13 perguntas, as mesmas enviadas ao TJ. Mas ao menos uma ficou incompleta: a questão 12, relacionada à remuneração de cargos em comissão e funções gratificadas. Os pedidos foram baseados no artigo 122 da Constituição Estadual, que dá poder à Assembleia para pedir informações. A Alerj foi alvo da Justiça e dos promotores na Furna da Onça, braço da Lava Jato. Deputados também tiveram sigilos bancários quebrados. À Coluna, o TJ e o MP informaram que não cometeram irregularidades.

ADVERSÁRIOS EM 2022 JUNTOS EM RESENDE

O presidente Jair Bolsonaro (PSL) participou ontem de uma formatura na Academia Militar das Agulhas Negras, em Resende. Estiveram no evento também os governadores do Rio e de São Paulo, Wilson Witzel (PSC) e João Doria (PSDB), respectivamente. O trio tem a intenção de disputar a Presidência da República, em 2022. Bolsonaro não citou nenhum dos dois em seu discurso. Nos bastidores, cumprimentou Witzel e Doria apenas para cumprir formalidade.

PROMOÇÃO PARA EX-CHEFE DO 9º BPM

O secretário da Polícia Militar, Rogério Figueredo, promoveu recentemente o comandante do 3º BPM (Méier), Luiz Octávio. Graças ao gesto de Figueredo, o PM passou da patente de tenente-coronel para coronel. Para quem não lembra, Octávio era o chefe do 9º BPM (Rocha Miranda), em 2015, quando a polícia apreendeu um caderno do tráfico que revelou pagamento de propina a oficiais daquele batalhão.

EM SÃO MIGUEL DOS MILAGRES

Tem gente do governo que foi participar do XI Congresso Brasileiro de Regulação, em Maceió, com todas as despesas pagas com dinheiro publico, e prolongou a estadia no fim de semana. O evento acabou sexta-feira.

ILUSÃO DE ÓTICA NA BASE DE APOIO

Tem partido que apoia Wilson Witzel na Alerj, mas o deputado da legenda, por sua vez, não. Exemplo: o PSD. A sigla possui quatro parlamentares. Só que... Rosane Félix está longe de ser da aliança.

A SUCUPIRA DA BAIXADA

O deputado estadual Renato Zaca (PSL), veja só, foi para as redes sociais reclamar do palanque eleitoral que se transformou a inauguração do programa Segurança Presente anteontem em Nova Iguaçu.

PREFEITO SEM OS BOLSONARO

Zaca, que é da bancada da bala, diz que o projeto é usado politicamente assim como ocorreu com as UPPs nos tempos de Cabral. Vale lembrar que o PSL não apoiará o prefeito Rogério Lisboa (PR) à reeleição.

TRANSPARÊNCIA

A Alerj vota terça-feira projeto de lei que obriga a divulgação na internet dos radares fixos de velocidade nas rodovias estaduais. O autor é Thiago Pampolha (PDT).

PICADINHO

Acontece hoje, a partir de 14h, a 3ª edição da feira ‘Escambau’. Na Av. Dr. Mário Guimarães, 345, em Nova Iguaçu.

Hoje, no Museu da República, um aulão de yoga aberto comemora o 4º aniversário do ‘Yoga na Maré’. Às 9h30.

Amanhã, 13h30, a Casa Fluminense promoverá encontro na Universidade Cândido Mendes, no Centro, para discutir orçamento público.

DESCE

MARCELO FREIXO

Deputado do Psol, que quer ser prefeito do Rio, bate-boca em rede social. Ontem, foi com Carlos Bolsonaro.

DESCE

CARLOS BOLSONARO

Vereador do Rio pelo PSC e filho do presidente sempre provoca embates. Marcelo Freixo é a bola da vez.

Comentários