Família de contraventor tem racha para disputar prefeitura da Baixada

Irmão e primo de Anísio Abraão David querem concorrer em Nilópolis

Por CÁSSIO BRUNO

Os primos Farid Abrão (à esquerda) e Simão Sessim: disputa eleitoral
Os primos Farid Abrão (à esquerda) e Simão Sessim: disputa eleitoral -
RIO - A disputa pela Prefeitura de Nilópolis vai expor uma guerra dentro de um maiores clãs políticos do estado. O atual prefeito Farid Abrão David (PTB) quer a reeleição. O primo dele, ex-deputado federal Simão Sessim (PP), nos bastidores, também não esconde a vontade de concorrer. No fogo cruzado, está o bicheiro Anísio Abraão David, irmão de Farid, primo de Simão e chefão do grupo que comanda ainda a escola de samba Beija-Flor. Se eleito, Farid será prefeito pela quarta vez. Já Simão, que teve 10 mandatos de parlamentar e representa hoje o governo Witzel (PSC) em Brasília, sonha com o Executivo pela segunda vez.

DOMÍNIO QUE VEM DESDE A DÉCADA DE 1970

Na linha de sucessão do clã, Simão Sessim foi o primeiro prefeito de Nilópolis, entre 1973 e 1977, pela Arena, partido de sustentação da ditadura militar. Depois dele, de 1983 a 1988, é a vez de Miguel Abraão, outro irmão de Anísio. Jorge Davi, irmão de Simão, assumiu de 1989 a 1992. O ciclo só teve interrupção com as eleições de Manoel Rosa, o Neca, e José Carlos Cunha. Mas, de 2001 a 2008, a família de Anísio retorna ao poder político com Farid, que se elegeu de novo em 2016. De 2009 a 2012, Sérgio Sessim, filho de Simão, ficou na cadeira.

ANÍSIO INTERFERIU PELO MENOS DUAS VEZES

A divisão na família de Anísio começou na reeleição de Sérgio Sessim. Farid quis ser candidato a prefeito, em 2012. O contraventor e patrono da Beija-Flor não permitiu. Farid, então, concorreu no município vizinho, Mesquita. Resultado: os dois perderam. Em 2014, Farid demonstrou vontade de disputar uma vaga a deputado federal. Anísio, novamente, brecou porque Simão Sessim queria se reeleger à Câmara. Por isso, naquele ano, o atual prefeito de Nilópolis não apoiou o primo.

OS EFEITOS DA ELEIÇÃO PRESIDENCIAL

Possível adversário de Jair Bolsonaro na eleição de 2022, o governador Wilson Witzel não aderiu ao programa do presidente de escolas cívico-militares. Carlos Jordy (PSL), vice-líder do governo na Câmara dos Deputados, tentará a adesão do projeto diretamente com as prefeituras. Amanhã, por exemplo, ele se encontrará com Crivella. Este modelo de gestão é compartilhada entre educadores e militares.

CACHIMBO DA PAZ NO HORIZONTE?

André Moura, novo chefe da Casa Civil e Governança de Witzel, pediu um encontro a Crivella. Diz nos corredores do Palácio Guanabara ter “todos os argumentos” para o prefeito fazer as pazes com o governador.

O TRÂNSITO ESTÁ LIVRE

Luiz Antônio Abrantes, coronel da PM, circula pelos corredores do Detran. Quem é? Comandou a Diretoria de Identificação Civil nos governos de Rosinha Garotinho e Sérgio Cabral. E fez indicações na atual gestão.

A AUSÊNCIA DO GOVERNADOR

A turma política, inclusive evangélicos, sentiu falta de Witzel na inauguração ontem da capela da Igreja São Francisco de Assis, no Campo Olímpico de Golfe. O QG de sua campanha, no ano passado, foi lá.

UMA MÃO QUE LAVA A OUTRA

Parte dos candidatos à eleição do Conselho Tutelar do Rio, marcada para hoje, tem apoio de vereadores. Com dinheiro ou estrutura. Em troca, ajudam os parlamentares à reeleição nas comunidades, em 2020.

INTENSIVÃO

Pré-candidata à Prefeitura do Rio, a deputada estadual Martha Rocha (PDT) esteve no Nordeste. Foi conhecer as gestões em Sobral e Fortaleza. Ciro Gomes a acompanhou.

PICADINHO

A maior livraria flutuante do mundo estará até hoje no Pier Mauá. Ingressos a R$ 5 e gratuito para crianças e idosos.

A Casa de Cultura José Bonifácio recebe hoje, de 10h às 22h, a primeira Feira de Bruxaria e Esoterismo de Paquetá.

Também hoje, de 12h às 22h, a Carioquíssima volta à Praça General Tibúrcio, na Urca, visando estimular a economia criativa.

DESCE

GOLEIRO BRUNO

Ex-atleta do Flamengo retorna aos gramados pelo Poços de Caldas. Ele ainda cumpre pena pela morte de Eliza Samudio.

DESCE

GINÁSTICA BRASILEIRA

Jade Barbosa se lesionou ontem no Mundial. Com isso, o Brasil ficou de fora dos Jogos Olímpicos de 2020.

Comentários