Impasse trava negociação de Witzel com DEM e PRB

Governador do Rio ainda não conseguiu incluir os dois partidos no primeiro escalão

Por CÁSSIO BRUNO

O encontro ontem de Witzel com o deputado Rodrigo Maia, parlamentares e prefeitos do DEM
O encontro ontem de Witzel com o deputado Rodrigo Maia, parlamentares e prefeitos do DEM -
RIO - O governador Wilson Witzel se reuniu ontem, em momentos diferentes, com parlamentares do DEM e do PRB. Os dois partidos estavam prestes a ganhar secretarias e compor a base aliada de Witzel na Alerj. Mas... Rodrigo Maia esteve no Palácio Guanabara com deputados e prefeitos do DEM. Apesar da reunião de aproximação, a legenda não assumirá, por enquanto (as portas não estão fechadas), a pasta de Obras e Infraestrutura. Nos bastidores, o presidente da Câmara dos Deputados pediu o controle de todas as obras de responsabilidade do estado. Hoje, a estrutura desta secretaria não funciona assim. Em 12 de setembro, a Coluna revelou com exclusividade que o ex-prefeito Eduardo Paes era contra o DEM entrar no governo Witzel.

Já o PRB não encontra nome para a Secretaria de Trabalho, criada para abrigar o partido da Universal e de Marcelo Crivella. A deputada federal Rosângela Gomes se recusa a assumir o cargo e abrir caminho para o filho do prefeito no Congresso. Ontem, Witzel se reuniu com os deputados do PRB e o impasse continua. A de Agricultura, antes do PRB, está com o PP.

PRESÍDIO SEM PARTICIPAÇÃO DE CRIVELLA

Wilson Witzel pediu diretamente ao presidente da Câmara, Jorge Felippe (MDB), para mudar o parâmetro urbanístico de um terreno, em Bangu, onde o governador do Rio pretende construir um presídio vertical. Pela lei, o uso do solo é competência municipal. Witzel quer que a Câmara (e não o prefeito Marcelo Crivella, PRB) faça o projeto e o apresente em plenário. A ideia é que a nova cadeia tenha até cinco mil presos. O custo estimado é entre R$ 60 milhões e R$ 80 milhões.

O EX-PREFEITO VIROU CABO ELEITORAL

Até Eduardo Paes (DEM), pré-candidato a prefeito do Rio, entrou na onda da eleição para o Conselho Tutelar da cidade. Ele fez um vídeo pedindo voto para a candidata Fernanda Batista, uma agente comunitária de saúde que concorreu pelo Centro. “Tenho certeza que vai representar a gente em defesa dos direitos da criança e do adolescente”, ressaltou Paes. Ela teve 541 votos e foi eleita.

EVANGÉLICOS NO CONSELHO

A Universal será a maior vencedora da eleição do Conselho Tutelar porque deu estrutura a seus candidatos, como transporte de eleitores. Mas chama atenção Patrícia Félix, com 3.420 votos até ontem. É assessora do deputado David Miranda (PSOL).

MUDANÇA NA IMPRENSA OFICIAL

A Imprensa Oficial, órgão ligado à Casa Civil e que publica os atos do governo do estado, tem novo presidente: Francisco Luiz do Lago Viegas. Começou ontem. É indicação do deputado estadual Filipe Soares (DEM).

BRIGA POR VAGAS NA BAIXADA

Está prevista para hoje votação de emenda à Lei Orgânica que aumenta de 17 para 21 o número de vereadores em Nova Iguaçu. Mas veja só a confusão: em 30 de abril, os próprios parlamentares aprovaram a redução para 11 cadeiras em 2020.

A CONSEQUÊNCIA DA POLÊMICA

Diante da confusão, os vereadores iguaçuanos que vão tentar reeleição no ano que vem e pré-candidatos ao cargo estão na expectativa para a formar as nominatas dos partidos no município.

LIVRE, LEVE E SOLTO

O TRE-RJ rejeitou pedido de cassação por infidelidade partidária do mandato do deputado Bruno Dauaire. Ele foi eleito pelo PRP, mas pulou para PSC de Witzel.

PICADINHO

Hoje começa o curso gratuito de formação de Papai Noel, das 14h às 18h, no Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian.

Entre amanhã e sábado, no Pier Mauá, acontece a 8ª edição do Veste Rio. A entrada é gratuita.

De hoje até sexta, a FETAERJ oferece a 2ª Mostra gratuita de Teatro para a Infância. Acontece às 10h e às 15h, na Arena Chacrinha.

DESCE

MARCELO CRIVELLA

Após a má repercussão das declarações sobre a juíza Mirela Erbisti, reveladas pela Coluna, o prefeito pediu desculpas.

DESCE

MARCO FIGUEIREDO

Ex-deputado estadual é suspeito de chefiar esquema de “rachadinha” na Alerj. O caso foi mostrado pelo Fantástico.

Comentários