'É o símbolo de que não existe coisa séria’, diz deputado sobre secretário de Witzel

Discurso Carlos Augusto (PSD) provocou polêmica ao falar sobre Marcus Vinícius Braga, que comanda a Polícia Civil do Rio

Por CÁSSIO BRUNO

O secretário Marcus Vinícius Braga, com a medalha, no dia do evento
O secretário Marcus Vinícius Braga, com a medalha, no dia do evento -
Era para ser uma noite de homenagens, mas um simples discurso provocou irritação entre delegados e agentes do Rio. O deputado estadual Delegado Carlos Augusto (PSD) entregou, em 30 de setembro, a Medalha Tiradentes para o secretário da Polícia Civil, Marcus Vinícius Braga. A homenagem é a mais alta condecoração concedida pela Alerj. Em sua fala, porém, o parlamentar, que é pré-candidato a prefeito de Nova Iguaçu, disparou: “O Marcus Vinícius é o símbolo de que não existe coisa séria neste estado”. A repercussão ruim foi avassaladora nos bastidores da corporação. O vídeo do evento se espalhou nos grupos de mensagens.

DEPUTADO ENTROU NA POLÍCIA EM 2002

Em outro momento do discurso, Carlos Augusto também disse: “Acho que nem ele (Marcus Vinícius) se entende. Se o governador (Wilson Witzel) ligar duas horas da manhã, ele vai chegar na casa do governador sorrindo, fingindo que está gostando”. O deputado entrou na Polícia Civil em 2002. Foi titular de várias delegacias, inclusive as especializadas. É marido de Gisele Lima Pereira, atual subsecretária de Gestão Administrativa da secretaria comandada por Marcus Vinícius. Atua ainda como comentarista de TV.

PARLAMENTAR NEGA CUNHO DEPRECIATIVO

O deputado Delegado Carlos Augusto afirmou que tudo foi uma brincadeira, embora o tom de seu discurso não fosse esse. “Marcus Vinícius e eu somos amigos há 30 anos. Estudamos juntos. Não houve qualquer cunho depreciativo”, disse. No mesmo evento, a medalha também foi entregue à promotora Carmem Eliza Bastos de Carvalho. Witzel estava presente.

A DISPUTA POR 2022 COMEÇOU ONTEM

Para quem tinha alguma dúvida, o encontro do presidente Jair Bolsonaro e do governador Wilson Witzel deixou claro. Não há mais qualquer relação de cumplicidade política entre os dois, aliados na eleição de 2018 e possíveis adversários na próxima disputa presidencial. Bolsonaro tratou Witzel friamente e mal o cumprimentou na cerimônia de conclusão da construção de um submarino, no Complexo Naval de Itaguaí.

LIDERANÇA EM XEQUE?

Vereadores estão revoltados com a postura de Jorge Felippe (MDB), presidente da Câmara. Alegam que ele provoca desgaste desnecessário com eleitores taxistas e de carros de aplicativos ao insistir na votação de seu projeto de lei.

‘GOELA ABAIXO’, DIZEM COLEGAS

A proposta, com Jorge Felippe como um dos autores, impõe exigências ao transporte de passageiros em veículos particulares. “Quer enfiar goela abaixo. Desagrada vereadores da esquerda até a direita”, ressalta um deles.

UMA VISITA NONSENSE

No circo montado ontem, no Pedro II, pelos deputados estadual Rodrigo Amorim e federal Daniel Silveira, ambos do PSL, os próprios tiveram de ouvir o seguinte protesto dos alunos: “Marielle, quero Justiça, não aceitamos deputados da milícia”.

MENINOS SEM SAIA NAS ESCOLAS

Aliás, Rodrigo Amorim apresentou projeto de lei para proibir... que estudantes do sexo masculino usem saias e vestidos em escolas públicas e privadas! Mas ele apagou de suas redes sociais a divulgação da proposta.

PICADINHO

O Centro Cultural João Nogueira promove hoje o ‘Dia das Crianças no Imperator’. A entrada é franca.

O BarraShopping reúne hoje, a partir das 12h, atividades especiais para o Dia das Crianças.

Também hoje o Jorginho do Império faz show, às 21h, no Espaço Cultural Cariocando, no Catete.

DESCE

FERNANDO COLLOR

O senador foi alvo de uma operação da PF de combate à lavagem de dinheiro. Collor disse que é inocente.

DESCE

MARCO FIGUEIREDO

O ex-deputado se tornou réu em esquema de rachadinha que envolvia auxílio-educação.

Comentários