Rosinha sobre sua rotina como doceira: "Garotinho come tudo, me incentiva"

Mesmo a família envolta em tantas questões com a Justiça, ela diz que "o povo clama: 'volta, Rosinha!'". Ela diz ainda que é abraçada e beijada quando sai às ruas de Campos

Por Maria Luisa de Melo

Em seu apartamento na Zona Sul, ex-governadora Rosinha Garotinho virou doceira
Em seu apartamento na Zona Sul, ex-governadora Rosinha Garotinho virou doceira -
Nada de roupa social e salto alto. A nova rotina da ex-governadora e ex-prefeita de Campos, Rosinha Garotinho, agora tem como prioridade as receitas de cupcakes, brigadeiros gourmet e chocotones de Natal. Tudo com sua devida propaganda nas redes sociais, através do perfil "Sabor e arte", como antecipou o colunista Ancelmo Gois, em O Globo. Em conversa ontem com O DIA, a nova doceira conta que o ofício tem lhe rendido tranquilidade.
Mas, apesar de ela defender que "a vida é mais doce longe da política", admite que acompanha todas as movimentações. Incluindo aquelas que se desenham pela Prefeitura de Campos, cidade que foi a mola propulsora da família na vida pública. Quando o assunto é dar uma "ajudinha" ao filho Wladimir Garotinho (PSD-RJ), deputado federal, que mira a Prefeitura de Campos, despista: "Tem que ver se o Wlad vai querer (concorrer)".
Questionada sobre o filho ter menos chances de abocanhar a prefeitura por a imagem da família estar desgastada, com as prisões que ela e o marido sofreram, minimiza as denúncias "estão fazendo um espetáculo (...), mas não apontaram a riqueza". "Tem uma voz que clama: 'volta, Rosinha!'. O povo sabe o que estão fazendo, querem me abraçar e me beijar nas ruas".
A ex-governadora só interrompe o papo político para dizer que está mais preocupada com as encomendas de Natal: "Garotinho come tudo, ele gosta, me incentiva (...) O chocotone de 250 gramas é o mais procurado e custa R$ 35. Faço brigadeiros gourmet a R$ 4".

Disputa em Campos tem cinco pré-candidatos
Na cidade de Campos dos Goytacazes, no Norte Fluminense, é alvo de disputa de diversos grupos políticos. Até agora, são cinco pré-candidatos.

Além do deputado federal Wladimir Garotinho, do PSD; Caio Vianna (PDT), filho do ex-prefeito Arnaldo Viana, também está dentro. Com o devido apoio de Lupi, diga-se de passagem. A lista tem ainda Gil Vianna, deputado estadual pelo PSL, muito ligado a Flávio Bolsonaro.

O atual prefeito da cidade, Rafael Diniz (Cidadania), tentará a reeleição. Mas há quem diga que o moço
está desgastado e não tem chances. O quinto nome é o do estadual Rodrigo Bacellar (SD). O moço também está de olho em ser conselheiro do TCE.


Guarda armada
O vereador e autor do projeto de lei, Jones Moura, do PSD, garante que a votação para armar a Guarda Municipal acontecerá na Câmara, no próximo dia 27.
Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários