Nada de Daniella do Waguinho: MDB apoiará Rogério Lisboa em Nova Iguaçu, diz líder da sigla

A insistência na candidatura da deputada federal pelo grupo político de seu marido, o prefeito de Belford Roxo, seria uma tentativa de pressionar o Democratas, de Rodrigo Maia

Por Maria Luisa de Melo

O prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa
O prefeito de Nova Iguaçu, Rogério Lisboa -
A disputa eleitoral só começará oficialmente no ano que vem. Mas a concorrência interna dos partidos em busca de apoio para viabilizar suas candidaturas já está a todo vapor. Em Nova Iguaçu, principal cidade da Baixada Fluminense, o grupo político do prefeito de Belford Roxo, Waguinho (MDB), tenta emplacar o nome de sua mulher, a deputada federal Daniella do Waguinho, para concorrer à Prefeitura local, depois que o nome do estadual Max Lemos foi para escanteio. Com a pré-candidatura do atual prefeito, Rogério Lisboa (PR), já confirmada, os ânimos estão exaltados na concorrência.

Além de Lisboa, outro nome já confirmado como pré-candidato é o do deputado estadual Delegado Carlos Augusto (PSD). Embora o nome de Daniella seja defendido, o MDB deverá ficar do lado de... Rogério Lisboa! Foi o que garantiu o presidente estadual do partido, Leonardo Picciani. "Vamos apoiar a candidatura do Rogério, está definido!", pontuou.

Segundo uma fonte da coluna, a insistência na candidatura de Daniella pelo grupo de Waguinho não passa de uma tentativa de pressionar o Democratas. É que a sigla decidiu lançar o estadual Dr. Deodalto (DEM) como pré-candidato em Belford Roxo - cidade na qual Waguinho tentará se reeleger e, para isso, busca o apoio do líder democrata Rodrigo Maia. Waguinho nega a jogada, enquanto Leonardo Picciani tenta acalmar os ânimos: "Vamos apoiar a reeleição do Rogério em Nova Iguaçu. E o Democratas apoiará o Waguinho em Belford Roxo".
COLÉGIOS MILITARES DE WITZEL NA MIRA DA OPOSIÇÃO

A proposta do governo do Rio de alterar a lei para criar os colégios militares foi criticada pelo presidente da Comissão de Educação, Flávio Serafini (PSOL, foto). Segundo ele, os oficiais não podem ser pagos com o percentual constitucional de 25% do Orçamento, destinado à Educação. Secretário de Educação, Pedro Fernandes diz que os pagamentos dos oficiais serão feitos pelas corporações militares.
SEBASTIÃO BRUNO CADA VEZ MAIS EMPODERADO
O secretário de Infraestrutura e Habitação, Sebastião Bruno, está, cada dia que passa, mais empoderado pelo prefeito Marcelo Crivella (PRB). Após ter incorporado a Secretaria de Conservação, Bruno agora tem sob sua tutela também os contratos de prestação de serviço de esgotamento sanitário de toda a Zona Oeste. A região mais populosa e consequentemente a com mais eleitores da cidade. "Não é mais poder, é mais trabalho", defende-se ele.

Comentários