Deputados e secretário de Witzel protagonizam os dois dias mais tensos do ano

Crise na Alerj

Por Sidney Rezende

Secretário de Desenvolvimento Econômico, Tristão não quis comentar
Secretário de Desenvolvimento Econômico, Tristão não quis comentar -

Na manhã da última terça, o presidente da Alerj, André Ceciliano, teve que explicar se era verdade que o secretário Lucas Tristão possuía dossiês sobre os 70 parlamentares. Junto do líder do governo, Márcio Pacheco, Ceciliano afirmou que ouviu isso do próprio secretário.

Inconformado, o presidente da Alerj ameaçou mobilizar a PF, o MPE e o MPF para abertura de investigação. Mas antes, ele prometeu se aconselhar com os presidentes das comissões de Segurança e Fiscalização.

De noite, Witzel trouxe para si a missão de apaziguar os ânimos. Ele ligou para Ceciliano e conversaram longamente. O governador estava constrangido.

Witzel ouviu de Ceciliano uma sequência de lamentações. Foi ressaltada a boa relação institucional de ambos, assim como a difícil missão de equilibrar interesses que envolvam a Cedae.

O governador ameaçou falar, mas não foi possível: "exerço relação construtiva com o senhor e, por isso, não posso aceitar que alguém do governo ameace deputados", disse o petista. Ao término da conversa, Witzel desligou aparentando estar determinado a achar uma solução imediata. Na avaliação interna da Alerj, se o governador demorar, ele poderá sofrer desgaste nas próximas votações.

Encerrada a ligação, Ceciliano fez uma avaliação: "Se fosse Jorge Picciani ou Paulo Mello... teriam exigido a imediata demissão".

Sobre Tristão, o que se ouve da maioria dos deputados é que ele é uma "pessoa difícil". Frequentemente é acusado de "prepotência", "criador de atritos desnecessários" e posar como se fosse o "dono do mundo". "Ele pensa que elegeu sozinho o governador", disse uma cabeça coroada da política fluminense.

Procurado, o secretário Lucas Tristão preferiu o silêncio e a assessoria reenviou nota que o secretário afirma que "desconhece a existência de qualquer uma das práticas mencionadas pela Presidência da Alerj no requerimento de informações. O secretário mantém relações cordiais com a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro, seus respectivos deputados".

 

Preocupação com acervo de Brizola

- Reprodução
Relatório de arrecadação - Divulgação

Castigado por goteiras, o arquivo do ex-governador Leonel Brizola estava apodrecendo. Parentes alugaram depósito para salvar o que restou. Os vídeos são digitalizados pelo neto, o vereador Leonel Brizola. A outra parte está no Uruguai.

 

Votação mobiliza deputados na Alerj

Projeto de Lei que propõe o Dia Estadual do Orgulho de Ser Travesti e Transexual será votado hoje. Oposição quer alterar nome para "Dia do Orgulho de Ser Humano".

 

Herança política de Marielle

A irmã de Marielle Franco, Anielle, não será candidata. Ela optou por comandar a Fundação criada pela família para preservar a memória da política assassinada.

PICADINHO

A Comlurb não encontrou nenhuma garrafa de vidro nas 2,9 toneladas de lixo recolhido em bloco de Claudia Leitte.

Mãe aos 51, Isabella Taviani lança álbum de inéditas depois de 6 anos. A Myllena, companheira dela, teve gêmeos.

O ministro Luiz Roberto Barroso, do STF, será o palestrante principal do evento da Aneprem no final de julho.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários