Sapucaí tem presença de políticos em todo Carnaval

Por Sidney Rezende

O ex-prefeito Eduardo Paes
O ex-prefeito Eduardo Paes -

Domingo de Carnaval é dia de mostrar samba no pé. É um engano quem pensa que político não gosta de Carnaval. Como diria o personagem Pedro Pedreira, da Escolinha do Professor Raimundo: "há controvérsias!".

Wilson Witzel coloca o seu chapéu panamá todas as vezes que recebe algum famoso de escola de samba, e até já arriscou alguns passinhos. A primeira-dama, Helena Witzel, é Salgueiro, e tem mais jeito. O ex-prefeito Eduardo Paes, que usa o mesmo modelo de chapéu do governador, confessa ser Portela, sem esquecer o Cacique de Ramos. Este tem samba no pé.

O ex-secretário municipal João Pedro Figueira é outra figurinha carimbada que está sempre desfilando pela passarela do samba. O presidente do PDT, Carlos Lupi, também circula por ali. Ele até ajudou a Vila Isabel a emplacar o enredo Getúlio Vargas, em 2008. Este desfila pela Mangueira e Salgueiro.

O deputado Dionísio Lins todos os anos está na avenida, principalmente quando desfila o Império Serrano. E, na Grande Rio, o prefeito de Caxias, Washington Reis, é outro que sempre bate ponto na escola. Mas, com camisa da diretoria.

Pela Viradouro, costumam prestigiar a agremiação o prefeito Rodrigo Neves e o ex-presidente da Câmara de Niterói, atual deputado, Paulo Bagueira.

E, na União da Ilha do Governador, se destacam Wagner Victer; o ex-presidente do TCM José de Moraes; e o deputado pelo PTdoB Jorge Pereira.

Bem, todos têm samba no pé? Há controvérsias! 

 

Resposta do senador Flávio Bolsonaro

Na edição de sábado (22), publicamos a notícia de uma reunião ocorrida esta semana entre o senador Flávio Bolsonaro (sem partido) e o prefeito de Mesquita, Jorge Miranda (PSDB). O secretário estadual de Ciência e Tecnologia, Leonardo Rodrigues, adversário politico do tucano, comentou que não acreditava no apoio de Bolsonaro a um prefeito aliado de petista.
Procurado pela coluna, o senador Flávio Bolsonaro enviou a seguinte declaração: "Não apoio petista, nem quem é do governo Wilson Witzel. O que era pra ser a maior sintonia da história do Rio de Janeiro, com presidente e governador 100% alinhados, virou uma traição muito dolorida pra mim. Antes mesmo de tomar posse como governador, em dezembro de 2018, Wilson já falava em tomar o lugar de Bolsonaro. Léo Rodrigues escolheu um lado, e não é o meu, infelizmente".

União para devolver alegria

Ex-ministro das Relações Exteriores Celso Amorim - Divulgação

 O diplomata Celso Amorim está confiante na união das esquerdas para a próxima eleição. "O Rio precisa ser a capital da alegria e da solidariedade. E voltar a respeitar a diversidade e as várias crenças", disse.

Apelo da OAB-RJ à Polícia Civil

"Respeito a mulheres advogadas, que preenchem cadastros de entrada e, depois, recebem contatos impróprios de servidores", pediu a Comissão de Prerrogativas. 

Volta Redonda: Neto quer de novo

Antônio Francisco Neto (DEM), quatro vezes prefeito, disse que vai disputar o quinto mandato. "Vou resolver as pendências judiciais [das contas de 2011]".

Troca-troca para eleições

 A janela partidária começa no dia 5 de março e vai até dia 3 de abril. Este período é quando os vereadores poderão mudar de partido por justa causa, para concorrerem nas eleições majoritária ou proporcional sem perder o mandato.

PICADINHO

Frente Parlamentar de Apoio ao Cooperativismo do Estado do Rio será reativada no dia 4 de março pela Alerj.

Acessibilidade: Projeto Praia Para Todos está de volta. Sábados e domingos, das 9h às 14h, na Barra e em Copa.

Prefeitura do Rio vai abrir terça bandeirão LGBT de 30 metros no Candybloco, que desfila pela primeira vez.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários