André Moura adota estilo "bateu, levou"

Secretário da Casa Civil respondeu críticas de ex-aliados.

Por Sidney Rezende

Secretário estadual da Casa Civil e Governança, André Moura, durante coletiva a imprensa
Secretário estadual da Casa Civil e Governança, André Moura, durante coletiva a imprensa -

O articulador político do governo Witzel, secretário da Casa Civil, André Moura, foi alvo nas últimas semanas de ataques violentos dizendo que ele seria o responsável por práticas de corrupção na máquina pública estadual. O ex-deputado federal, que já foi líder de Temer, não se calou. "Se nos atacam, é porque o nosso trabalho - e do governador - está dando certo! São os insatisfeitos com o nosso sucesso".

Postagens se repetiram nos grupos de Whatsapp. "Sou atacado de forma rasteira, típica do submundo, por pessoas que não sabem discutir em alto nível, de forma republicana, não conseguem avançar com suas pautas intransigentes. Eles fazem barulho, mas sem eficácia. No ano passado aprovamos tudo. Agradeço nossa base por isso", disse. "Só posso responder por minha pasta: a Casa Civil". Moura lembrou que "todos os contratos da Saúde não têm minha ingerência. Os contratos emergenciais, também não. Detran é da Vice-Governadoria. O governador assinou um decreto na sexta-feira permitindo a Controladoria analisar todos os riscos dos contratos emergenciais. E mais, convocou a Polícia Civil para abrir os inquéritos que julgar necessários".

E sobre a amizade com Eduardo Cunha, Moura disse que teve com ele na Câmara uma "relação institucional. Eu não respondo a nenhum processo atrelado ao presidente da Casa. Isso é assunto de quem não tem argumento". Ex-aliados do PSL também são críticos a Moura: "eles querem é palanque eleitoral". 

 

Rede precisa de novos leitos já

O deputado Renan Ferreirinha (PSB) enviou ao governador Witzel ofício cobrando mais rapidez na abertura de novos leitos e reativação dos que se encontram fechados. Segundo previsão feita por professora Marcia Castro, em sete dias, rede pública do Rio entrará em colapso. "Ter novos leitos somente a partir do dia 30, pode ser tarde demais", disse o deputado. 

Alívio parcial

A deputada federal Daniela do Waguinho (MDB-RJ) e o filho caçula Callebe vão refazer o teste da Covid-19. "Estamos tomando a medicação prescrita pelo nosso médico, em repouso e aguardando o prazo necessário para refazer o exame", diz a parlamentar. Apesar de estarem sem sintomas, a medida é de prevenção, após o prefeito de Belford Roxo, Waguinho, e o filho mais velho do casal, Natan, testarem positivo. Eles estão em casa, isolados do restante da família, e recuperam-se bem da doença. 

Salário: Prefeito corta na carne

O prefeito de Engenheiro Paulo de Frontin, Jauldo Neto (PSC), reduziu seu próprio salário em 50%; já secretários municipais e comissionados tiveram redução de 15%. Medida é para reforçar caixa para combate ao coronavírus. Decreto vale para abril. 

PICADINHO

Itaboraí: Secretaria de Educação lança Projeto Plataforma Digital para estudantes do município.

MPRJ ajuíza ação para que Estado do Rio não compute como dias letivos as atividades educacionais realizadas pela internet.

Alexandre Cardeman, do COR, participa, hoje, de webinar do C40, grupo das 40 grandes cidades para liderança do clima.

Comentários