Sucessão na Firjan: Empresários da Federação estão pintados para a guerra

Por Sidney Rezende

Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira
Presidente da Firjan, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira -
A eleição para a escolha do novo presidente da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro continua pegando fogo nos bastidores. A oposição garante que há uma tentativa de mudança das normas estatutárias. O que eles dizem é que o atual presidente, Eduardo Eugênio, quer alterar as regras da eleição prevista para agosto e instituir a votação por meio eletrônico. E que isso seria uma tentativa de virada de mesa. "Não existe regra jurídica que imponha a alteração da modalidade da eleição de presencial para telepresencial. A sede da Firjan e suas Regionais se assemelham aos escritórios, cujo funcionamento está liberado, desde a primeira fase de retomada das atividades, mediante a observância das chamadas dez Regras de Ouro", diz parecer elaborado pela advogada Claudia Duranti, ao qual a coluna teve acesso. A oposição vai votar contra e promete recorrer à Justiça, caso o presidente insista em mudar regras na busca de seu 9º mandato.
Há 25 anos de poder, o executivo é o mais longevo presidente de Federação em atividade no país. Ele está em rota de colisão com boa parte dos sindicatos fluminenses, que o acusam de uso indevido de recursos da Federação, em detrimento de ajudar aos combalidos associados. Eduardo Eugênio também entrou em divergências públicas com presidentes de federações industriais das regiões Norte e Nordeste, por conta da divisão de repasses da Confederação Nacional das Indústrias. Uma coisa não se pode negar: Eduardo Eugênio está armado até os dentes para buscar mais um mandato. 

Prefeito em rota de colisão

Crivella quer adequar protocolos de vigilância sanitária da Ferj e da Prefeitura - Ricardo Cassiano
O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos) tem encaminhado para seus seguidores vídeos que apresentam reportagens do Jornal da Record com denúncias contra seu antecessor Eduardo Paes (DEM). Em postagem recente, o ex-prefeito reclamou e se sente perseguido. O TRE tem uma área para acompanhar este tipo de problema. 

Escola de formação política

O Solidariedade inaugura na sexta-feira um centro de formação de políticos em Duque de Caxias. Um galpão abandonado no bairro de Parque Lafaiete foi reformado para abrigar auditório e salas de aula. Ali serão treinados pré-candidatos a prefeito e vereador em formação política, comunicação e estratégias de campanha em tempos de pandemia. Os eleitos para as Câmaras receberão depois aulas de oratória e processo legislativo. O objetivo também é preparar futuros prefeitos e secretários do partido no estado principalmente a conseguir verbas para seus municípios através dos fundos estaduais e federais. Verbas, às vezes, se perdem por desconhecimento dos gestores. 

Prefeitura responde a MP

A RioSaúde se colocou à disposição do MPRJ no caso de se investigar hospitais de campanha. "Não há nenhuma irregularidade e a empresa municipal de saúde, inclusive, já providenciou as informações pedidas sobre RH contratado e quantidades de EPIs nas duas unidades", disse em nota. 

Alívio para os pequenos negócios

Alexandre Freitas (Novo) - Divulgação
O plenário da Alerj vota amanhã (25) projeto de lei do deputado Alexandre Freitas (Novo), que desburocratiza 287 atividades econômicas de baixo risco. São restaurantes, padarias, lan house, costureiras, sapateiros, entre outros, que a legislação estadual garantirá o funcionamento sem precisarem de qualquer tipo de licença. 

PICADINHO

Movimento contra privatização da Cedae promoverá abraço simbólico ao prédio da companhia, hoje (24), às 10h.

Receita Federal e Fórum Nacional Contra a Pirataria e a Ilegalidade destruíram, ontem (23), 30 milhões de cigarros contrabandeados. Carga foi avaliada em R$ 7,5 milhões.

Em parceria com a Fundação do Câncer, o Táxi Rio irá enviar mensagens, a partir de hoje (24), para mais de 28 mil usuários do aplicativo incentivando a doação de sangue. 

Comentários