Pré-candidato critica abandono de São João de Meriti

Por Sidney Rezende

Vinicius Baião, do PSOL, representa a ala progressista em Meriti
Vinicius Baião, do PSOL, representa a ala progressista em Meriti -
O pré-candidato à Prefeitura de São João de Meriti Vinícius Baião, do PSOL, é um dos poucos candidatos na disputa que defende um discurso mais progressista. Na entrevista promovida pelo jornal O Dia, ele deixou claro que a cidade somente encontrará o rumo do desenvolvimento se mudar a forma como ela vem sendo administrada. Uma das críticas de Baião é quanto ao abandono do município e falta de compromisso com as pessoas.

"O Dr. João [atual prefeito] receitou o descaso para a cidade, porque a gente tem hoje um cenário com nove meses de salário atrasado dos aposentados. Imagina ficar nove meses sem receber salário, vivendo de favor de vizinho, de parente. É uma situação degradante, de completo abandono da cidade. O que temos visto ao longo das gestões todas, não só do Dr. João, mas as gestões anteriores também, é uma falta de compromisso muito grande com as pessoas. A gente tem muitos interesses envolvidos de grupos políticos, mas colocar pessoas em primeiro lugar, não temos visto. A gente tem um cenário de abandono na saúde. A gente não tem, por exemplo, nenhum programa de cultura na cidade. Eu, sendo produtor cultural, entendo que isso é fundamental, por exemplo, para a formação humana das pessoas. Nós temos problemas seríssimos na educação. Então, nosso grande diferencial vai ser colocar a pessoa em primeiro lugar. Não inverter a lógica do orçamento e colocar o dinheiro público em benefício das pessoas e não desses grandes grupos corporativos que dominam São João há décadas e décadas".  

Paulo Guedes e os livros

O editor da Companhia das Letras, Luiz Schwarcz, reagiu diante da intenção do ministro da Economia, Paulo Guedes, de taxar os livros em 12%. "No início da pandemia, o prefeito de Montevidéu decidiu incluir livros na cesta básica, dando um sinal de que a cultura faz parte das necessidades primordiais da população". 

Rota de colisão

O PSDB e o MDB entraram em rota de colisão no Rio, tudo por causa do processo de infidelidade partidária a que responde o deputado estadual Max Lemos, que decidiu migrar para o ninho tucano para candidatar-se a prefeito em Nova Iguaçu. Desafetos de Lemos dizem que a mudança causou estranheza pois o deputado seria "o braço direito – e esquerdo – da família Picciani". 

PSOL em Nova Iguaçu

Iguaçuana, pedagoga, historiadora e militante. Este é o perfil da Professora Leci, a escolhida do PSOL para a disputa à Prefeitura de Nova Iguaçu. Ela luta a favor da escola pública, contra o racismo e milita há mais de 30 anos nos movimentos sociais em defesa os direitos das mulheres. 

Fim do monopólio da FGV

A CPI dos Transportes da Alerj, presidida pelo deputado Eliomar Coelho, fez um pente fino nos contratos de prestação de serviços da Fundação Getúlio Vargas com os governos do estado do PMDB. O relatório aponta para a necessidade de o Estado estabelecer parcerias e convênios com centros de excelência públicos, como Uerj, UFRJ, UFF e demais universidades estaduais, para a formulação de estudos, editais e projetos, acabando assim com o monopólio da FGV nessas elaborações. 

PICADINHO

Loja oficial do clube Vasco da Gama chega ao TopShopping, no centro de Nova Iguaçu.

Mercado de escritórios do Rio de Janeiro desacelera em meio à pandemia, segundo pesquisa First Look realizada pela JLL.

Senac RJ promove projeto Meu Job Meu Jeito a partir de hoje (13). Ação virtual busca auxiliar os jovens que estão em dúvida sobre qual profissão escolher ou como empreender.

Comentários