Mônica Teixeira Corrêa: "Faremos um governo para os trabalhadores"

Por Sidney Rezende

Mônica Teixeira é pré-candidata do PSTU à prefeita de Volta Redonda
Mônica Teixeira é pré-candidata do PSTU à prefeita de Volta Redonda -
A professora Mônica Teixeira Corrêa, pré-candidata do PSTU à Prefeitura de Volta Redonda, disse que, se for eleita, defenderá a classe trabalhadora e inverterá a relação atual em que o poder público se deixa influenciar pelos patrões e empresários.

A pré-candidata falou sobre suas prioridades. "A primeira coisa seria colocar em dia os salários do funcionalismo municipal, principalmente, os aposentados. Por conta de um movimento, neste mês, nós conseguimos que o salário dos ativos viessem para o último dia do mês, mas o dos aposentados ainda não pagaram. Nós já estamos no meio do mês. É uma injustiça. Então, a primeira providência seria colocar o salário do funcionalismo público em dia, do magistério e de outros setores. A segunda [prioridade] seria também readmitir as mais de 200 merendeiras que foram demitidas em plena época de pandemia. Mulheres que na maioria das vezes são donas de casa, mães e provedoras de seus lares. Junto com essa readmissão das merendeiras, eu quero fazer uma denúncia e exigir que esta prefeitura ou o próximo prefeito eleito, no caso sendo eu, vou readmitir já, imediatamente, a professora Renata Oliveira, que, desde 2014, foi afastada de sua segunda matrícula, está até hoje, há seis anos, sem receber salário, tudo isso porque ela foi liderança numa das lutas da educação, junto com a categoria nesta cidade. Entendemos que a professora Renata sofre perseguição política, desde 2014. Além da professora Renata, que já responde a um processo, nós também sabemos de outros casos, de outras pessoas, outras secretarias, que as pessoas são penalizadas por terem uma posição política diferente do atual gestor". 

Royalties do Petróleo na berlinda

O novo presidente do STF, o carioca Luiz Fux, pautou para 3 de dezembro o julgamento da lei que trata da redistribuição dos royalties e tira recursos dos municípios e estados produtores, para dividir com o resto do país. O deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), presidente da Frente Parlamentar em Defesa dos Municípios Produtores de Petróleo, destaca que o estado do Rio argumentou na Ação Direta de Inconstitucionalidade 4.917 que os royalties são uma contrapartida pela exploração do mineral e que afeta o equilíbrio federativo. Por decisão liminar da ministra Carmem Lúcia, que atendeu o pedido da Frente Parlamentar, a lei está suspensa desde 2013, quando entraria em vigor. O estado e os municípios fluminenses poderão perder R$ 56,2 bilhões até 2023, caso as regras aprovadas em 2012 sejam restabelecidas, calcula a Agência Nacional de Petróleo. 

União regional de esquerda

Rodrigo Neves, Marlos Costa, Dimas Gadelha e Fabiano Horta. - Divulgação
Reunião entre os prefeitos Fabiano Horta, de Maricá, e Rodrigo Neves, de Niterói, de olho em São Gonçalo foi produtiva. Eles selaram a aliança entre PT e PDT na cidade. Neves indicou Marlos Costa para ser vice de Dimas Gadelha, do PT. 

Enteado de Pezão entra na política

Roberto Horta, o Betão, enteado do ex-governador Luiz Fernando Pezão será candidato a vereador em Piraí pelo PSB. Ele disse o que o fez entrar na política: "Por orgulho de ser piraiense. Pois espero que meus filhos e as próximas gerações também possam se orgulhar como eu me orgulho". 

PICADINHO

Quarta edição do Cyber Security Summit Brasil – um dos principais eventos no mundo sobre segurança na internet – será online, dia 29 de setembro. Inscrições gratuitas já estão abertas.
Relatório da Defensoria identifica 58 acusados injustamente por falhas no reconhecimento fotográfico. Dados mostram ainda que a maioria dos “identificados” por engano pela vítima, 70% eram negros.

Pelas mídias digitais, Fundação do Câncer alerta os pais de meninas, de 9 a 14 anos, e de meninos, de 11 a 14 anos, para a vacinação contra o HPV. 

Comentários