A advogada Ligia Oliveira Divulgação

Rio - "Recebi uma ligação com oferecimento de empréstimo consignado. Pediram a confirmação dos meus dados e disseram que iriam vir até minha casa para que eu assinasse o contrato. Estou achando que é golpe" (Ângela Ramos, Padre Miguel, Rio).
Todo cenário de crise financeira é um ambiente propício para golpes e fraudes, especialmente contra aqueles que dispõem da “facilidade” de contratar um empréstimo consignado, como aposentados, pensionista e servidores públicos.
Além disso, os bancos e instituições de crédito trabalham atualmente com uma forma muito predatória de vender empréstimos consignados, muitas vezes usando de expedientes enganosos para conseguir que o consumidor concorde.
A advogada Ligia Oliveira alerta que, usando como desculpe uma atualização cadastral ou o desbloqueio de valores, acabam induzindo o consumidor a dar um “ok” para uma operação bancária normal, quando na verdade, trata-se de um empréstimo consignado.
Por isso, para evitar cair em qualquer uma dessas ciladas, a melhor opção para o consumidor é não contratar nenhum tipo de empréstimo pelo telefone. E se bateram à porta de sua casa lhe oferecendo um empréstimo em nome do banco no qual você recebe o seu salário ou benefício previdenciário, não dê nenhuma informação pessoal. Os bancos não encaminham “agentes” à casa dos seus clientes.
Casos Resolvidos: Priscila Nunes (Enel); Arthur Pimenta (Rioluz); Jussara Ferreira (Oi)
Fale com nossos advogados: [email protected]
WhatsApp: (21) 99328-9328