Campeã aos 37 anos, Carol Gattaz diz: "Idade é só um número"

Central festeja título da Superliga pelo Minas e sonha com a Olimpíada de Tóquio

Por ANA CARLA GOMES

Carol Gattaz com o troféu de campeã da Superliga pelo Itambé/Minas
Carol Gattaz com o troféu de campeã da Superliga pelo Itambé/Minas -

Aos 37 anos, Carol Gattaz provou que a idade não é impedimento para os seus sonhos.Capitã do Itambé-Minas, campeão da Superliga feminina de vôlei, ela coroou uma grande temporada sob o comando do italiano Stefano Lavarini: "Foi incrível. Há cinco anos estou no Minas, é uma caminhada longa. É uma coisa muito importante na minha carreira, por ser capitã e pelo que o Minas representa na minha carreira, porque sou outra atleta desde que cheguei ao clube, que não conquistava esse título há 17 anos".

Além da Superliga, o Minas ganhou o Mineiro, a Copa Brasil e o Sul-Americano, todos vencendo o Dentil-Praia Clube na final. A chegada de Lavarini na temporada 2017/18 é muito elogiada por Carol: "Evoluí muito. É um cara que chegou para simplificar e, ao mesmo tempo, modernizar a maneira como a gente joga. É muito estudioso, uma pessoa calma, que deixa o clima leve".

O entrosamento com a levantadora Macris, eleita a melhor jogadora da Superliga, também é considerado como decisivo: "Foi fundamental ter aMacris confiando e jogando bastante com as centrais e de forma veloz, e o Lavarini incentivando isso".

A central está inscrita na Liga das Nações. Mas precisa de um período detratamento para se apresentar à Seleção. "Tenho um problema crônico no meu joelho e tenho que ter certos cuidados com controle de carga e de treinos. Logo que terminou a temporada, a comissão médica propôs um tratamento para estipular quanto tempo ficarei tratando até que possa me apresentar, se o Zé Roberto quiser", explica Carol, estimando que a recuperação seja de 45 a 60 dias.

Carol tem um desejo especial: "Meu maior sonho é disputar uma Olimpíada. Há uns meses não pensava mais em Seleção, mas minhas companheiras de clube, amigas e a Natália, capitã da Seleção, começaram a plantar essa sementinha na minha cabeça. Idade é só um número. Se fizer um planejamento e uma preparação legal, quem sabe não consigo? Depende se a comissão técnica vai aceitar".

Comentários