Leal planeja repetir sucesso da parceria com Bruninho na seleção brasileira

Juntos, o ponteiro cubano naturalizado brasileiro e o levantador conquistaram o Italiano e a Liga dos Campeões na última temporada pelo Civitanova

Por O Dia

O ponteiro cubano naturalizado brasileiro Leal defende a Seleção de vôlei
O ponteiro cubano naturalizado brasileiro Leal defende a Seleção de vôlei -
Juntos, eles jogaram a última temporada pelo Civitanova, da Itália, onde conquistaram o Campeonato Italiano e a Liga dos Campeões. Agora, o levantador Bruninho e o ponteiro Leal, cubano naturalizado brasileiro, poderão repetir essa parceria com a camisa da seleção brasileira. Nesta sexta-feira, às 14h (de Brasília), o Brasil estreia na terceira etapa da Liga das Nações, contra a Sérvia, em Gondomar, Portugal. Bruninho estreia na competição nesta etapa após folgar nas duas primeiras. 
"Acho que essa parceria vai andar bem na Seleção também. Tem tudo para ser assim. Jogar com Bruno no Civitanova foi muito bom para entrosamento e sabermos como jogar um com o outro agora. Estamos em ótima forma, nos conhecendo bem e espero que consiga jogar bem na Seleção e ajudar. Isso é o mais importante", afirmou Leal.
O ponteiro aceitou o desafio de jogar no Civitanova depois de longa e vitoriosa passagem pelo Sada Cruzeiro: "Tomei essa decisão sabendo que poderia jogar na Seleção. Sabia que ganhar essa experiência internacional seria importante para eu contribuir aqui. Jogar na Itália me ajudou muito. O nível em que se joga por lá é muito alto e isso fez com que o meu nível aumentasse também. Além disso, trabalhei bastante e evoluí principalmente na recepção".
Após quatro anos de espera, Leal finalmente estreou pela seleção brasileira no jogo diante da Austrália, na etapa de Katowice, na Polônia, da Liga das Nações. "Foi muito bom e fiquei muito feliz tanto por representar o Brasil pela primeira vez quanto pela recepção que tive na Seleção. Fiquei nervoso, afinal a espera havia sido de quatro anos para vestir a camisa da seleção brasileira, mas, depois que entrei em quadra, só senti felicidade. E todo o grupo foi muito receptivo comigo. Todos, sem exceção, me receberam muito bem e me deixaram verdadeiramente feliz com isso", contou o ponteiro.

Comentários