Em romance, fã do inglês Morrissey vê a ex ‘roubar’ suas músicas preferidas

Quando até o cantor preferido entra na partilha de bens

Por tabata.uchoa

Leandro baseou-se em história pessoal para escrever o romance Divulgação

Rio - A separação de um casal formado por um cara que ama as músicas do roqueiro inglês Morrissey e por uma menina que, graças a ele, aprendeu a admirar o ex-vocalista dos Smiths.

No término, o rapaz se sente frustrado por ver a ex-amada ouvindo as músicas que marcaram sua vida — e por consequência, o relacionamento. Essa história foi vivida, em parte, pelo publicitário paulista Leandro Leal. E o rompimento gerou seu primeiro romance, ‘Quem Vai Ficar Com Morrissey?’ (ed. Ideal, 274 págs., R$ 39,90).

“Fiz o livro quando terminei o relacionamento com uma menina que se tornou fã deles por minha causa. O pontapé inicial da história foi na minha própria bunda”, brinca o escritor.

Na trama, o personagem principal é Fernando, um jornalista frustrado com a profissão. A ideia de que a separação de bens deve incluir até mesmo as músicas de Morrissey surge quando ele e um amigo vão a uma festa em São Paulo em que o ex-baixista dos Smiths, Andy Rourke, atua como DJ — e, lá, ele encontra a ex-mulher com um novo namorado.

“Cheguei a pensar quase o mesmo que meu personagem”, brinca. “Deixei isso de lado, mas achei que seria um bom começo para uma história.”

Fã dos Smiths, Leandro compartilha com seu personagem a opinião de que ‘Hatful of Hollow’, coletânea de singles lançada em 1984, é o melhor disco da banda. E ressalta que Morrissey é o responsável por mudanças estéticas fortes no mundo do rock.

“Nos anos 80, o nerd era o cara que tomava ‘cuecão’ na escola e não tinha respeito ou glamour. Morrissey veio usando óculos de aro grosso, típico do serviço público inglês, além de usar aparelho de surdez no palco. Isso levou o ‘perdedor’ para as paradas de sucesso.”

Além do livro de Leandro, uma série de outros lançamentos enfoca Morrissey e seu ex-grupo. Um deles pode ser adquirido só em cópias importadas e traz justamente as memórias do cantor, ‘Autobiography’. “Li o livro e adorei. Só me encheu o saco o fato de uma grande parte dele falar do processo que o Mike Joyce (ex-baterista dos Smiths) moveu contra o Morrissey.”

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia