Por daniela.lima

Rio - O ano é 1981 — segundo estatísticas oficiais, o mais violento da história de Nova York. A informação é fundamental para entender em qual contexto se dá a trama de ‘O Ano Mais Violento’, de J.C. Chandor. Sim, porque, se a violência no longa não é escancarada, a presença de um ambiente hostil ao redor dos personagens pode ser sentida com facilidade em cada fotograma. 

Oscar Isaacs e Jessica Chastain entregam atuações primorosasDivulgação


Na trama, acompanhamos o embate travado pelo imigrante Abel Morales (Oscar Isaac) para se estabelecer como um empresário no ramo do transporte de combustíveis. Durante esse período, vários de seus caminhões são roubados. Como se não bastasse, ele também acaba investigado por um promotor implacável (David Oyelowo), que o acusa de gerenciar seu negócio de forma fraudulenta.

É impressionante a elegância com a qual Chandor conduz cada movimento de câmera e constrói seus planos. Tudo parece no lugar: os enquadramentos, a composição, tudo funciona. Além disso, ele tem a sorte de contar com um elenco no auge da forma: não bastassem Isaacs e Oyelowo, Jessica Chastain entrega uma das melhores performances de sua carreira.

Há muito tempo não se via um conto sobre honestidade e corrupção tão bem concebido quanto esse. Tomara que outro não demore a surgir.

Você pode gostar