Mais Lidas

Getúlio Côrtes, autor de 'Negro Gato', lança primeiro disco aos 80 anos

Material inclui sucessos do compositor repaginados, com sonoridade pesada e moderna

Por RICARDO SCHOTT

Getúlio Côrtes lança seu primeiro disco aos 80 anos
Getúlio Côrtes lança seu primeiro disco aos 80 anos -

Rio - Aos 80 anos, Getúlio Côrtes, autor de várias músicas gravadas por Roberto Carlos (como 'Negro Gato' e 'Quase Fui Lhe Procurar'), é possivelmente o roqueiro mais idoso a estrear em disco. Quem for escutar 'As Histórias de Getúlio Côrtes' esperando um som jovemguardista e antigo, vai se surpreender. O material, que chega ao público hoje no Teatro Ipanema, às 20h30, e inclui sucessos do compositor repaginados, ganhou uma sonoridade pesada e moderna. Uma cortesia do produtor e guitarrista André Paixão e de Gustavo Benjão (guitarra), Melvin (baixo) e Marcelo Callado (bateria), que tocam em disco e show.

"Eles deixaram tudo com uma nova roupagem. Aquele som da época da Jovem Guarda ficou para trás. O repertório tem músicas antigas, mas com o som novo deles. Que é o meu som também!", diz Getúlio, gargalhando.

VOZ NA CBS

'As Histórias' é o primeiro de Getúlio, mas não é a estreia do compositor nos vocais. Em 2002, ele participou de um disco-tributo a ele mesmo, 'O Pulo do Negro Gato', com participações de amigos como Erasmo Carlos, Leno, Fagner, Wanderléa, Jerry Adriani e de seu irmão - que é ninguém menos que o soulman Gerson King Combo. Na ocasião, Getúlio cantou em 'Coração Embalsamado'.

"E nos anos 1960, eu fiz vocais em discos de Renato & Seus Blue Caps. Eu vivia na CBS (hoje Sony), era roadie deles. Bom, na época não era roadie, era carregador de instrumentos mesmo", brinca, lembrando que sua carreira de compositor veio dessa época. Numa dessas sessões na CBS, Getúlio mostrou 'Negro Gato' para Renato, que acabou gravando a música - antes até de Roberto Carlos. A canção, lembra Getúlio, foi feita para um gato que andava sobre o teto de zinco de sua casa em Madureira e não o deixava dormir.

"Eu jogava pedra no gato para ele ir embora, e ele não parava. Mas fiquei com pena dele, me coloquei no lugar dele e fiz a música", conta Getúlio, hoje morador de Botafogo. E que já teve vários felinos em casa. "Minha mãe criava gatos em Madureira. Hoje, moro em apartamento e não dá pra ter gato aqui".

Depois, Getúlio foi gravado por Reginaldo Rossi, Roberto Carlos, Tony Tornado e pelo próprio irmão. "O Raul Seixas (quando foi produtor da CBS) me pediu uma música para uma dupla chamada Tony & Frankie. Mas falou: 'Quero uma letra bem doida'. Fiz 'Patati Patatá'. Nada ali tem a ver com nada", brinca.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Galeria de Fotos

Getúlio Côrtes lança seu primeiro disco aos 80 anos Markão Oliveira/Divulgação
Da esquerda: Getúlio (também abaixo), Callado, Melvin, Benjão e André lançam disco no Teatro Ipanema Markão Oliveira/Divulgação

Comentários