Bemvindo Sequeira interpreta diretor que sofre com a falta de verba

'O Fantasma Autoral' estreia hoje, às 20h, no Sesc Tijuca

Por BRUNNA CONDINI

Bemvindo Sequeira é Miguel
Bemvindo Sequeira é Miguel -

Rio - Até que ponto você deixa alguém interferir na sua arte? Qual o seu preço?

Estes questionamentos estarão em cena no espetáculo 'O Fantasma Autoral', que estreia hoje, às 20h, no Sesc Tijuca. O primeiro texto de Maria Queiroz Azevedo traz Bemvindo Sequeira comemorando 50 anos de carreira, no papel de Miguel, um famoso diretor conhecido por montar peças só de autores mortos e se manter fiel à obra.

Mas tudo muda quando ele se vê sem dinheiro para produzir seu novo espetáculo. "Ele reflete exatamente o arquétipo que conhecemos muito: o diretor desesperado para montar uma peça num país em decadência. Num país onde a verba da cultura é ínfima", diz o ator, sobre a montagem em que divide o palco com Alexandre Lino e Pedro Garcia Neto. A direção é de Ernesto Piccolo.

Comentários

Últimas de Diversão