Filme 'Crô em Família', com Marcelo Serrado, Rosi Campos, Monique Alfradique, Pabllo Vittar, Preta Gil - Eny Miranda
Filme 'Crô em Família', com Marcelo Serrado, Rosi Campos, Monique Alfradique, Pabllo Vittar, Preta GilEny Miranda
Por RODRIGO TEIXEIRA | [email protected]

Rio - O mordomo Crodoaldo Valério, mais conhecido como Crô, que apareceu pela primeira vez na novela 'Fina Estampa', está de volta hoje aos cinemas, no filme 'Crô Em Família'. E Marcelo Serrado, seu intérprete, diz que a preparação do personagem é bem demorada.

"Leva uns 40 minutos só de maquiagem e laquê. E eu opino nos acessórios desde a época da novela. Já tenho tudo pré-concebido na cabeça e vou ajudando em tudo que posso", conta o ator, que não perde o rebolado na criação do mordomo.

Marcelo Serrado ainda se surpreende com o alcance de Crô. "Foi um personagem que surgiu em 2011 numa novela, depois veio o primeiro filme em 2013 e agora esse novo filme. Ele me acompanha", comemora ele, que contracena com Preta Gil e Pabllo Vittar, em participações especiais.

Encarnando mais uma vez o amado mordomo que conquistou o país pela simpatia e pela devoção à patroa Tereza Christina (Christiane Torloni), chamada por ele de 'Rainha do Nilo', na novela, a ator festeja ainda o bordão que ganhou a telona: "Para, congela e descongela".

"O cinema é uma coisa mais específica, a linguagem é diferente. É uma coisa única fazer o personagem em uma novela e depois poder levá-lo para o cinema. A gente acaba eternizando ele de uma certa maneira", conta Serrado.

No filme 'Crô em Família', o personagem retorna já famoso, bombado e dono da própria escola de etiqueta e finesse. Mas se vê, no entanto, sozinho e sem família. Carente e vulnerável, ele acaba ficando à mercê de supostos parentes, cujas intenções não parecem ser das melhores.

Ao lado das inseparáveis Geni (Jefferson Schroeder), Magda (Mary Sheila) e Jurema (Fabiana Karla), e sempre desviando do veneno da pérfida colunista Carlota Valdez (Monique Alfradique), Crô embarca em uma aventura repleta de pinta para descobrir a sua verdadeira família.

No cinema, 'Crô' trata com leveza o tema da diversidade. Marcelo Serrado fala sobre a importância de se desmistificar esse assunto. "O tema é colocado, mas não é uma questão debatida no longa sobre ele ser gay ou não. O personagem já nasceu assim, mas é sempre importante a gente tratar de temas que cada vez serão mais polêmicos daqui para o futuro. O filme não aborda essa temática de maneira mais profunda, essa questão não é levantada. Ele é gay e pronto, os outros personagens também, e a vida continua normal", esclarece.

O filme tem direção de Cininha de Paula, roteiro original de Aguinaldo Silva e adaptação de Leandro Soares.

Você pode gostar
Comentários