Mondial de La Bière Rio 2018 vai até domingo no Píer Mauá

Festival apresenta cerveja envelhecida no fundo do mar, além de marcas com sabores como cajá e bolo de rolo

Por RODRIGO TEIXEIRA

Mondial de la Bière Rio 2018
Mondial de la Bière Rio 2018 -

Rio - Sucesso idealizado no Canadá há 25 edições, no Brasil desde 2013, o Mondial de La Bière está em sua sexta edição no Rio de Janeiro, no Píer Mauá. E promete novidades para os cervejeiros. Além de rótulos estreantes há variedades que vão do tradicional malte e lúpulo até goiaba, bolo de rolo, cajá e até cerveja envelhecida no fundo do mar. Até domingo (o evento começou na quarta-feira), os fãs da bebida encontram 29 cervejas nacionais e cinco internacionais que chegam pela primeira vez na programação.

"O maior desafio é colocar mais de 120 expositores em um evento com cerca de 1.200 rótulos, mas é sempre uma satisfação. É um desafio que vale a pena", afirma Luana Cloper, diretora da Fagga, empresa organizadora do festival. O Catharina Sour, por exemplo, é o primeiro estilo brasileiro de cerveja a integrar o Beer Judge Certification Program (BJPC). Tem teor alcoólico médio e certo amargor, e foi idealizado e produzido por uma série de cervejarias de todo o Brasil. Já tinha sido incluído provisoriamente no guia de juízes e pode agora ser oficialmente colocado nos concursos internacionais.

BOLO DE ROLO

Já a cervejaria Ekäut estará no Mondial com três novos produtos: a Sour Cajá, a Bolo de Rolo Imperial Stout e a cerveja colaborativa Fora do Eixo. O público carioca poderá provar com exclusividade a Sour Cajá.

Diogo Chiaradia, sócio da Ekäut, fala um pouco das duas primeiras, num depoimento de dar água na boca. "A Sour Cajá é ácida e fermentada com polpa de cajá da região e com alta carbonatação, além de ser extremamente leve, refrescante e suculenta, assim como a fruta. Proporciona a sensação de um frisante da fruta, só que em forma de cerveja", afirma Diogo.

A Bolo de Rolo Imperial Stout é uma bebida com alta intensidade de maltes, corpo amargo e alto teor alcoólico. "Seu grande diferencial é ser maturada com goiabada e baunilha, resultando num sabor inconfundível", diz. "E a Fora do Eixo é seca para moderada, bastante aromática, de alto teor alcoólico, com bastante carbonatação e sabor que remete ao champanhe e frutas tropicais", completa.

Já a cervejaria fluminense Mistura Clássica, que há 15 anos está no mercado, traz a primeira criação do projeto Mar e Guerra. O "Guerra" é uma menção ao mestre cervejeiro Marcos Guerra, que assumiu o comando por lá e que trouxe sua expertise para a marca depois de quatro anos à frente da marca premiada Lohn, do Sul do país. Não é novidade maturar cerveja em barris de madeira, mas a Mistura Clássica decidiu dar seu toque especial ao fazer a marca Layla.

"No Projeto Mar e Guerra fermentamos nossa cerveja em barril de carvalho francês, com adição de framboesa. A gente deixou tudo isso por quase três meses no fundo do mar apenas para lançá-la no Mondial", diz Marcos Guerra, que também utilizou caju, graviola e goiaba em suas criações.

Além das cervejas com alto teor alcoólico, vale ficar de olho em marcas mais suaves, como a Aeternum, "nossa" American Imperial Stout, com 10% de álcool. Além das mais recentes, o Grupo Heineken estará presente no Mondial de La Bierre com a cerveja Baden Baden. A marca participa do evento desde 2015. Além disso, a cervejaria apresentará o seu mais recente lançamento, a Baden Baden Vienna Lager, um estilo desenvolvido em Viena, na Áustria, em meados de 1840. Exclusivamente para o evento, a Black Princess desenvolveu três novos estilos de chope.

GASTRONOMIA E MÚSICA

Além das cervejas, o Mondial é um festival de gastronomia e música. Na parte de comida, estão no evento marcas como Aconchego Carioca, Alemão da Serra, Belga, Burgertopia, Caliente, Cogu, Confraria da Carne, Dogaria, Espírito de Porco, Frites, Hare Burger e Hell's Burguer. Todas preparadíssimas para acompanhar sua cerveja. Desde quarta, quando começou o evento, há DJs, festas e bandas fazendo a trilha sonora para os que caminham no Píer Mauá. Hoje tem a festa Rockcetera, com o DJ Bruno Caravelos, e grupos como Vênus Café e Tchopu (este, fazendo cover do Pearl Jam). Grupos como Punching Namard, Fuze (formado pelos filhos do ator Marcello Novaes) e Black Bird garantem a diversão nos outros dias. 

PROGRAMAÇÃO

HOJE

17h10 e entre as bandas - Rockcetera, DJ Bruno Caravelos: festa carioca de rock que completa três anos em 2018. Ao longo desses foram 15 edições, sempre com casa cheia. Uma vibe diferente abordando todas as vertentes do rock brasileiro e mundial.

18h - Animals: a banda carioca formada em 2016 presta tributo ao grupo californiano Maroon 5, a banda com mais hits no topo da Billboard neste século.

19h - Banda Tailten: movida a sons irlandeses, a Tailten inclui as contagiantes 'Drinking Songs' - aquelas sempre cantadas em coro e com uma caneca de cerveja na mão.

20h - Vênus Café: o figurino certamente foi roubado de algum filme de Quentin Tarantino, os pulos e trejeitos são emprestados do Van Halen e uma entrega ao público apanhada do próprio Freddie Mercury, o irresponsável vocalista Dan tem liderado o quarteto que vem batalhando no circuito alternativo carioca.

21h30 - Tchopu: formada em 2001, a banda se consagrou como o tributo ao Pearl Jam que mais levou público a pubs e casas de espetáculo do Rio de Janeiro.

AMANHÃ

17h10 e entre as bandas - Rockcetera, DJ Bruno Caravelos: festa carioca de rock que completa três anos em 2018.

18h - Papagaio Sabido: a banda nasceu em 2013 reunindo as tribos do cancioneiro nacional e desde então festeja a música brasileira levando o samba, chorinho e MPB ao público de forma única e irreverente.

19h - Mouse Beer: com releituras de sucessos de bandas e artistas que marcaram época como Barão Vermelho, Paralamas do Sucesso, Titãs, Blitz, Legião Urbana, e rock internacional representado por Rolling Stones, Dire Straits, The Police, Guns N Roses, entre outros.

20h - Black Bird: fundada em 1998, a banda já tocou nos mais badalados palcos cariocas como Canecão, Teatro Rival, Garden Hall, Hard Rock Café, Ballroom, Golden Room do Copacabana Palace e na Praia de Copacabana.

21h30 - Capitão Rob: banda de indie alternativo com influências do rock progressivo até o jazz.

DOMINGO

16h10 e entre as bandas - Rockcetera, DJ Mary Dee: festa carioca de rock que completa três anos em 2018.

17h - Banda Fuze: uma banda carioca com energia e groove no pop rock, respiram a arte, o sol, o surf e a alegria.

18h - Baile do Zen: é um baile que mescla ritmos brasileiros, como o samba e o sambarock, a ritmos estrangeiros, como afrobeat, soul, salsa e reggae.

19h - Punching Namard: a banda surgiu em 2013 com a ideia de misturar o peso e a sujeira do punk tradicional com os fraseados melódicos e os diversos instrumentos da música folk irlandesa e celta.

20h - Protocolo B: tem como característica a sonoridade vinda das experiências musicais de cada integrante, passando pelas escolas do rock e MPB, resultando numa identidade sonora. Atualmente, faz um tributo ao Barão Vermelho.

Galeria de Fotos

Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Cervejas por toda parte: novas marcas e nomes consagrados do universo cervejeiro estão no evento, desde quarta no Píer Mauá Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Mondial de la Bière Rio 2018 Divulgação
Evento começa a partir de quarta-feira, na Zona Portuária do Rio Paulo Carneiro/Parceiro/Agência O Dia

Comentários

Últimas de Diversão