João Vicente de Castro com Alinne Moraes e Vitória Strada (abaixo). E com a atriz mirim Clara Galinari, a Priscila, nos bastidores da novela  - Globo / Cesar Alves
João Vicente de Castro com Alinne Moraes e Vitória Strada (abaixo). E com a atriz mirim Clara Galinari, a Priscila, nos bastidores da novela Globo / Cesar Alves
Por RODRIGO TEIXEIRA

Um dos protagonistas de 'Espelho da Vida', João Vicente de Castro fica em cima do muro quando questionado sobre o caráter de seu personagem, o cineasta Alain. Mas, afinal, ele é mocinho ou vilão?

"Ele é bacana, mas não é bonzinho. Boa dramaturgia não tem bonzinho e mauzinho. Tem pessoas. Na minha opinião, quando o texto é bom, é assim: os personagens têm várias facetas", diz o ator. "A gente não é bonzinho. Acordamos cada dia de um jeito. Temos nossa ética, nosso caráter, mas, às vezes, estamos em um mau dia. Tem coisas que nos confrontam e a gente não consegue se manter no prumo, sai do sério".

PASSADO

Para João Vicente, Alain "um cara amoroso, de caráter, afetuoso e ético " mete os pés pelas mãos quando se depara com o passado. "É uma grande luta a novela inteira, para ele não se separar dele mesmo, para se manter no prumo. Mas, às vezes, ele se perde. Acho que o conceito de vilão e mocinho está cada vez mais diluído. Há mocinhos que têm atitudes de vilão, e vilões que têm motivo para a vilania. Tem uma coisa de filme de herói em que o objetivo do vilão é destruir o mundo. Pra quê? Você vai morar onde depois? E isso está mudando. O cara quer destruir alguma coisa que faz algum sentido para ele", diz.

Na novela de Elizabeth Jhin, os personagens de João Vicente de Castro e Vitória Strada (a Cris) vivem uma grande paixão. Mas a relação começa a mudar depois que ele chegam à Rosa Branca, cidade onde ele nasceu, para se despedir do avô, que morre em seguida, e fazer um filme. "A Cris começa a sentir uma conexão com a cidade, começa a sentir que ela tem uma relação de outras vidas com a cidade. A partir daí, Alain tenta fugir e Cris tenta ficar", conta.

DESAGRADÁVEL

O reencontro com a ex-namorada, Isabel (Alinne Moraes), que teve uma filha, Priscila (Clara Galinari), também mexe com a vida do cineasta. Vilã da trama, a moça é ardilosa e vai fazer de tudo para reconquistar Alain.

"A Isabel é uma presença muito desagradável para o Alain, e ela se faz muito presente. Ela o quer de volta de qualquer forma. Quer dominá-lo. E ele a despreza, odeia, tem raiva e sentimentos por ela. Ela mexe com ele. E ela sabe. É inteligente e sedutora. Tem uma fala dele: 'Que poder tem essa criatura dos infernos sobre mim?'", diz o ator, deixando claro que seu personagem não alimenta nenhum afeto por Isabel.

"Ele não alimenta essa paixão. Mas ele sofre. Se ele pudesse deletar Isabel da vida dele, ele deletaria. Ele não queria se despedir do avô dele. Esse é o tamanho do medo que ele tem dela. Ele tem desespero. Ele não é apaixonado por ela, mas ela mexe com ele. Tem um poder sobre ele", finaliza.

Você pode gostar
Comentários