'Errei muito no passado', afirma Felipe Neto em entrevista ao Roda Viva

Durante o programa, o influenciador digital também criticou o presidente e afirmou 'o governo atual do Brasil, infelizmente, vive do caos'

Por O Dia

Felipe Neto foi o entrevistado desta segunda-feira do programa Roda Viva
Felipe Neto foi o entrevistado desta segunda-feira do programa Roda Viva -
O fenômeno na internet com quase 38 milhões de inscritos em seu canal no Youtube, Felipe Neto foi o entrevistado desta segunda-feira do programa Roda Viva. Nas redes sociais, Neto tem inflamado as redes sociais cobrando posicionamento político dos youtubers diante do cenário atual. 
Em sua entrevista, o youtuber afirmou que errou e admite uma "mea-culpa" por ter sido a favor do impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, em 2016.
"Em primeiro lugar, a mea-culpa eu faço sem problema algum. Quem acompanha minha história sabe muito bem que um defeito que não tenho é de teimosia e não pedir desculpas, Errei muito no passado e aprendi com esses erros, E não afirmo aqui, que hoje seja um adorador ou participante de um projeto petista, mas não tenho dúvidas de que no momento do impeachment, que podemos chamar de golpe, a minha colaboração embora fosse nada se comparável com a força que tenho hoje nas redes sociais".
Ele também foi questionado sobre a sua mudança de postura nas redes a respeito de temas políticos e disse que seu pensamento passado era "por falta de estudo, profundidade, por elitismo". "Passei os últimos três anos tentando corrigir esse erro e tentando afastar o máximo possível essa possibilidade de opressão que a gente vê hoje", justificou. 
Interesse político
Em determinado momento, ele foi questionado sobre o interesse em ser político. Neto negou qualquer interesse em entrar para o mundo da política e afirmou que "não há salvadores da pátria". "A gente não vai ter salvadores da pátria. O Bolsonaro não tem como salvar a pátria. O [ex-ministro da Justiça] Sergio Moro não tem como salvar a pátria e ninguém tem como, isoladamente, salvar a pátria. É importante que as pessoas assimilem isso de uma vez por todas", disse ele.
"A política vive de engrenagens, de diálogo, de convivência no ambiente político para elucidar e solucionar os problemas coletivamente. Não há salvadores da pátria, nunca irá haver dentro de uma democracia", acrescentou.
"Nesse momento não tenho qualquer interesse político. O 'nesse momento' é importante porque já falei tantas coisas que cravei e depois mudaram de cenário... Não me imagino virando político. Inclusive, até para acalmar os ânimos de algumas pessoas que ficam achando que tenho intenção de candidatura presidencial", justificou.
Governo do caos
Ele também criticou o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido) e disse que o governo brasileiro "vive e se alimenta" do caos.
"A gente tem um cenário onde a equipe do presidente não está preocupada em falar sobre o plano de governo, ou medidas de solução. Ela está preocupada em inflamar. Infelizmente, o governo atual do Brasil vive do caos, vive da promoção do caos, do desespero, do medo. É disso que ele se alimenta", defendeu.
Felipe acredita que o cenário atual é uma consequência da falta de investimento na educação ao longo dos anos. "E é disso que grande parcela da população brasileira se identifica, principalmente pela ignorância, infelizmente resultado de anos e anos de descaso com a educação básica, municipal, estadual e federal. E o governo Bolsonaro nada de braçada na maneira de se comunicar", concluiu.
Sobre Bolsonaro, Neto o caracterizou como uma "ameaça". "Quando a gente vê o presidente fazer as coisas que está fazendo, mandar um jornalista calar a boca, quando a gente lida com a realidade que está lidando hoje, não é mais questão política, não é questão de lado. Que lado é esse? A gente não pode validar opressão, fascismo. Está lidando com um assunto extremamente radical, não estamos falando a respeito de lados", afirmou.
"Qualquer pessoa hoje sabe que a covid-19 é uma ameaça. Qualquer pessoa tem que ter o mínimo de discernimento para saber que Jair Bolsonaro é uma ameaça. Basta ler o mínimo, assim como você lê o mínimo para saber que a covid-19 é uma ameaça. Você não precisa se aprofundar para entender a ameaça que representa o atual governo", reforçou.
Repercussão
A entrevista gerou grande repercussão nas redes sociais e a #FelipeNetonoRoda chegou a ficar nos Trend Topics do Twitter.
 

Comentários