Para emocionar: artista do Vidigal lança clipe em formato de carta aos ‘crias’

João Okami, de 30 anos, em parceria com a musicista Kely Pinheiro, 22, traz uma mensagem aos 'crias' em um clipe que representa a favela como ela é: bonita, mesmo com tanta dor

Por Thayná de Souza*

Clipe 'CARTA, é pra você cria' foi gravado no Vidigal, Zona Sul do Rio
Clipe 'CARTA, é pra você cria' foi gravado no Vidigal, Zona Sul do Rio -
Rio - O artista João Okami, de 30 anos, junto da musicista Kely Pinheiro, 22, lançaram um clipe, nesta sexta-feira, que vem em formato de carta aos 'crias' favelados, como propõe o nome da música. Dirigido por Max Chagas, o clipe de 'CARTA, é pra você cria' representa a favela sem estereótipos violentos, com a mensagem sincera de Okami que pretende tocar o coração. A obra representa a favela como ela é: bonita, mesmo com tanta dor.

Nascido e criado no Vidigal, favela localizada na Zona Sul do Rio, Okami conta que a música lançada em parceria com a 'rainha Kely' dialoga com diversos sentimentos como traumas, dores, alegrias e sonhos e que "nenhuma pessoa de fora, 'sinhô' ou 'sinhá', é capaz de ter, sentir ou tocar". Comentando o trabalho realizado, ele desabafou que sempre pensa sobre a ideia de unidade e que "esse projeto não teria acontecido sem o Max, que realizou o clipe; sem o Patrick Zaun, que fez a produção musical; sem Kely, minha parceira na música ou sem minha esposa Renata Dornelles, que também é minha produtora executiva". 

"Tenho tentado falar da beleza da nossa favela, do amor que a habita, da gentileza com o outro, dos gestos cheios de afetividade, cuidados, sorrisos, das nossas crianças e dos abraços que a covid-19 impede; coisas que, ao que parece, não pode: falar de coisas bonitas de dentro da favela", compartilha o carioca. "Ser cria de uma favela, ainda mais você sendo uma pessoa preta, só aumenta o trauma e o desejo de tocar as coisas ditas bonitas. Porém, para tocá-las, é preciso ter esperança e isso só enxergamos nos bairros ricos", complementa.
Sobre o processo de criação, o diretor Max Chagas revela que a intenção foi mostrar perspectivas que "não passassem pelo estereótipo de vulnerabilidade social e violência, mas como lar de esperanças futuras, solidariedade e união. Ainda que sofram ataques constantes, passem por dificuldades e não vejam saída pras questões urgentes, há a esperança que uma vida melhor e mais digna seja possível".
Confira o clipe de 'CARTA, é pra você cria':
 *Estagiária sob supervisão de Thiago Antunes

Comentários