Bloco do Sargento Pimenta se apresenta sem público, amanhã, em live comemorativa de 10 anos de carreira

Carnaval sem aglomeração acontece no Youtube do grupo

Por Juliana Pimenta

Bloco do Sargento Pimenta
Bloco do Sargento Pimenta -

Rio - Sem saber se vamos ter ou não Carnaval em 2021, o Bloco do Sargento Pimenta preparou um presente especial para os quarentenados. Amanhã, o grupo que faz sucesso cantando músicas dos Beatles com ritmos brasileiros se apresenta, às 21h, em uma live direto do palco do Teatro Riachuelo. A apresentação marca os 10 anos do bloco, que começou ainda pequeno nas ruas de Botafogo e hoje arrasta uma multidão de 500 mil pessoas no Aterro do Flamengo.

"Aconteceu alguma coisa depois de 2012, não sei se tem algo a ver com o calendário Maia ou o fim do mundo (risos)... Mas a impressão é que pulamos do nosso segundo Carnaval para o décimo em segundos! Vivemos muita coisa de lá para cá, mas realmente passou voando", brinca Lucas Sorriso, um dos diretores musicais do bloco.

A transmissão gratuita, via Youtube, é uma forma de acalmar os corações saudosos da folia, mas também traz uma mensagem importante. "Iremos trazer para o show o debate necessário sobre Setembro Amarelo, tendo como ponto de partida a música 'Help!', que foi feita por John Lennon em um período de depressão, mas que ganhou ares 'festivos' com as melodias e harmonias. Acreditamos no poder da arte e da música como ferramentas transformadoras nesse período e estamos ansiosos para mostrar o cuidado e o carinho que tivemos ao montar o nosso repertório e interações ao longo da transmissão", destaca Lucas, ansioso para esta primeira apresentação sem plateia.

Além disso, durante a transmissão, o coletivo pretende arrecadar doações para seus músicos e sua equipe técnica, a maior parte sem trabalho desde o início da pandemia. O evento vai abrir espaço para participações virtuais de artistas e, também, para depoimentos de especialistas sobre o Setembro Amarelo e de representantes de ONGs que realizam trabalhos artísticos em comunidades.

E o Carnaval?

Leandro Donner, que também é diretor musical do Sargento, defende que as festividades de Carnaval só aconteçam com segurança. "Estive pesquisando sobre o Carnaval de 1919, tido como um dos melhores do século passado. Aparentemente, a pandemia de gripe espanhola foi controlada às vésperas do Carnaval, o que permitiu que a farra momesca fosse das mais poderosas que o Rio de Janeiro — e o Brasil — conheceram. Já há cem anos, após a pandemia de gripe espanhola, se sabia que a realização do Carnaval, marco de nossa cultura, só era possível em segurança. Celebrar os dias de 'loucura saudável' que a data traz só faz sentido se o objetivo for poder retornar aos dias seguintes com saúde", argumenta o músico.

"Por sorte, naqueles tempos, o contágio foi contido a tempo dos festejos. Fica assim o Carnaval, importante para a vida pulsante da cidade, como torcida adicional para que as vacinas saiam a tempo e permitam as aglomerações que celebrem saúde, e não o medo", completa Leandro, otimista.

 

Agenda de lives

Sexta-feira

Pedro Luís, às 20h - Facebook do Theatro Municipal de Niterói
Maiara e Maraísa, às 20h - Youtube
Pitty, às 21h - Twtich
Teresa Cristina, às 22h - Instagram

Sábado

Elza Soares, Seu Jorge e Agnes Nunes, às 20h - Youtube dos artistas e no Multishow
Teresa Cristina, às 22h - Instagram

Domingo

Orquestra Sinfônica de Heliópolis + Paula Lima, às 11h - Youtube do Instituto Bacarelli (Live gratuita, mas ingressos devem ser reservados na Sympla)
Simone, às 18h - Instagram
Homenagem a Tom Jobim por Fernanda Takai e Orquestra Ouro Preto, às 18h - Youtube da Orquestra
Teresa Cristina, às 22h - Instagram

Comentários