Gal Gadot, a Mulher Maravilha
Gal Gadot, a Mulher MaravilhaAFP
Por O Dia
Rio - Joss Whedon, diretor do filme "Liga da Justiça", teria chegado a dizer que prejudicaria a carreira de Gal Gadot. Segundo o site "The Hollywood Reporter", Gadot teve "diversas preocupações" após a substituição de Zack Snyder, que deixou a produção por causa da morte da filha.

Após a saída de Snyder, Whedon fez alterações no projeto. Segundo uma fonte relatou ao site, Gal teria ficado preocupada, principalmente com fato de sua personagem parecer mais agressiva nele do que em "Mulher-Maravilha". "Ela queria fazer a personagem fluir de um filme para o outro", afirmou a fonte.


O maior desentendimento teria sido quando Whedon forçou a atriz a gravar falas que ela não queria. [Whedon] ameaçou prejudicar a carreira de Gadot e depreciou a diretora de 'Mulher-Maravilha', Patty Jenkins", disse uma fonte. Outro insider da produção apontou: "Joss estava se gabando de ter surtado com a Gal. Ele disse a ela que ele era o roteirista e que ela ia calar a boca e dizer as falas, e que ele poderia fazê-la parecer incrivelmente estúpida nesse filme".

Em comunicado, Gal Gadot comentou o caso dizendo: "Eu tive meus problemas com [Whedon] e a Warner Bros. lidou com isso em tempo hábil".

Em 2020, a Warner Bros iniciou uma investigação contra Joss sobre os abusos ao longo da produção de "Liga da Justiça". Ray Fisher, o Ciborgue, foi um dos primeiros a falar sobre o comportamento do diretor, afirmando que Whedon agia “grosseira, abusiva, não-profissional e completamente inaceitável", e disse que teve sua carreira ameaçada pelo roteirista e produtor Geoff Johns.