Prefeitura pode patrocinar dois desfiles sobre os 450 anos do Rio

Há mais escolas interessadas no tema

Por thiago.antunes

Rio - A prefeitura está finalizando um acordo com a Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa) que inclui a possibilidade de patrocinar duas agremiações do Grupo Especial com o enredo alusivo aos 450 anos da cidade em 2015. A data especial será comemorada no dia 1º março, pouco depois do Carnaval.

Segundo o presidente da Liesa, Jorge Castanheira, terá que haver sorteio para a escolha das duas e o acordo terá que passar ainda por plenária a ser marcada com representantes das 12 escolas. Castanheira adiantou que, além das duas sorteadas, outras agremiações também poderão adotar o mesmo tema, mas terão que buscar patrocínios por conta própria.

Além de Portela e União da Ilha, que já tinham escolhido os 450 anos do Rio como tema e vinham negociando o assunto com a administração municipal, outras escolas já manifestaram desejo em levar o aniversário histórico do município para a Marquês de Sapucaí, entre elas, Imperatriz Leopoldinense, Unidos da Tijuca, Beija-Flor e Mangueira.

Os 450 anos da Cidade Maravilhosa podem ser enredo de várias escolas%2C segundo a Liesa. Em 2000%2C todas tiveram temas relacionados aos 500 anos da descoberta do BrasilPaulo Alvadia / Agência O Dia

Nesta quinta-feira, o governo municipal evitou comentar o assunto. Para o presidente da Beija-Flor, Nelsinho David, os 450 anos do Rio “podem dar um belo samba”. “Tem uma gama enorme de possibilidades a serem exploradas na Avenida”, avaliou. Fernando Horta, presidente da Unidos da Tijuca, também vislumbra um possível patrocínio. “As escolas sorteadas deveriam contar, cada uma, um pedaço da história, para não incorrerem no risco de serem repetitivas”, sugeriu.

Luizinho Drumond, presidente da Imperatriz Leopoldinense, ressaltou que sua escola foi uma das primeiras a mostrar interesse em participar do sorteio. “Faremos uma bela festa, caso sejamos escolhidos”, comentou pela Internet. Para Chiquinho da Mangueira, a Verde e Rosa vai torcer para ser contemplada com patrocínio governamental. “Acho muito legal poder contar e cantar a história da cidade no Carnaval”, justificou.

Já Ney Filardi, presidente da União da Ilha, por sua vez, disse que o patrocínio da prefeitura já está na pauta de conversas “há um bom tempo com sua escola”. “O (Eduardo) Paes veio conversando comigo, com o Marcos (Falcon, vice-presidente da Portela) e o Flávio Horta há tempos”, revelou.

Sem grandes mudanças

Mal acabou o Carnaval e as escolas já começam a pensar em mudanças e enredos para 2015, mas poucas admitem transformações radicais. Diretores da Mocidade Independente de Padre Miguel (nona colacada) se reúnem hoje para decidir os rumos da escola. A saída do carnavalesco Paulo Menezes é dada como certa.

A diretoria da Vila Isabel, que ficou em décimo, informou que “permanece quem quiser”, mas o carnavalesco Cid Carvalho deve abandonar a agremiação, a exemplo do casal de mestre-sala e porta-bandeira Marquinhos e Giovanna.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia