Polêmico 10 para a Vila fica sem justificativa de jurada

Regulamento da Liesa livra júri de se explicar em avaliação máxima. Critérios serão revistos

Por O Dia

Rio - O que era mais esperado por muitos que acompanharam a apuração do resultado do desfile das escolas de samba do Grupo Especial no Carnaval 2014 ficou sem resposta. A jurada Helenise Monteiro Guimarães, professora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), valeu-se do regulamento que dispensa jurados de explicações em caso de notas máximas e não comentou o 10 dado à Vila Isabel no quesito Alegorias e Adereços. As justificativas das notas dos jurados responsáveis pela avaliação do desfile, alvo de pesadas críticas de dirigentes e torcedores de agremiações, foram divulgadas ontem pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa).

De acordo com a Liesa, os jurados têm a obrigação de justificar as notas apenas quando a escola é penalizada. A grande polêmica, no entanto, vem do fato de a Vila Isabel ter entrado na Avenida com fantasias, alegorias e adereços inacabados. Houve alas em que os foliões desfilaram sem fantasia. Neste quesito, porém, a escola perdeu cinco décimos, com uma nota 9.9 e duas notas 9.8, além de uma 9.7, que foi descartada. Neste ano, havia quatro jurados por quesito, e a menor nota era desconsiderada.

Cena que surpreendeu o público e revoltou os torcedores%3A ala inteira desfilou com a parte debaixo da fantasia. Mesmo assim%2C escola recebeu notas melhores que as rivaisAndré Luiz Mello / Agência O Dia

No quesito Alegorias e Adereços, no entanto, além da nota máxima dada por Helenise, a escola ganhou um 9.9 e um 9.8, um desempenho melhor do que Salgueiro, Beija-Flor, Portela, Mangueira, Mocidade, São Clemente e Império da Tijuca. Procurada logo após a apuração, a professora não justificou a nota máxima e também quis falar sobre o assunto. Ao DIA, limitou-se a dizer que “estas coisas são assim mesmo”. A mãe dela, Denise Monteiro, disse que a filha não poderia dar declarações para não sofrer represálias por parte da Liesa.

Procurado pelo DIA, o presidente da Liga, Jorge Castanheira, não atendeu as ligações. De acordo com a assessoria de imprensa da Liesa, mudanças deverão ocorrer para o próximo Carnaval, mas apenas depois de reuniões com as escolas de samba, o que ainda não tem data para acontecer.

Dirigentes da Império da Tijuca%2C rebaixada para o Grupo de Acesso%2C que ficou de fora do Desfile das Campeãs%2C questionaram as notas recebidasCarlos Moraes / Agência O Dia

As justificativas, divulgadas no site da Liesa, são diversão garantida para quem não estiver envolvido emocionalmente com o resultado. Ricardo Rizzo, um dos responsáveis pelo quesito Conjunto, por exemplo, reclamou do tamanho da bancada e da falta de cachorro-quente da marca Geneal no camarote dos jurados.

Últimas de Carnaval

Polêmico 10 para a Vila fica sem justificativa de jurada O Dia - Carnaval

Polêmico 10 para a Vila fica sem justificativa de jurada

Regulamento da Liesa livra júri de se explicar em avaliação máxima. Critérios serão revistos

Por O Dia

Rio - O que era mais esperado por muitos que acompanharam a apuração do resultado do desfile das escolas de samba do Grupo Especial no Carnaval 2014 ficou sem resposta. A jurada Helenise Monteiro Guimarães, professora da Escola de Belas Artes da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), valeu-se do regulamento que dispensa jurados de explicações em caso de notas máximas e não comentou o 10 dado à Vila Isabel no quesito Alegorias e Adereços. As justificativas das notas dos jurados responsáveis pela avaliação do desfile, alvo de pesadas críticas de dirigentes e torcedores de agremiações, foram divulgadas ontem pela Liga Independente das Escolas de Samba do Rio de Janeiro (Liesa).

De acordo com a Liesa, os jurados têm a obrigação de justificar as notas apenas quando a escola é penalizada. A grande polêmica, no entanto, vem do fato de a Vila Isabel ter entrado na Avenida com fantasias, alegorias e adereços inacabados. Houve alas em que os foliões desfilaram sem fantasia. Neste quesito, porém, a escola perdeu cinco décimos, com uma nota 9.9 e duas notas 9.8, além de uma 9.7, que foi descartada. Neste ano, havia quatro jurados por quesito, e a menor nota era desconsiderada.

Cena que surpreendeu o público e revoltou os torcedores%3A ala inteira desfilou com a parte debaixo da fantasia. Mesmo assim%2C escola recebeu notas melhores que as rivaisAndré Luiz Mello / Agência O Dia

No quesito Alegorias e Adereços, no entanto, além da nota máxima dada por Helenise, a escola ganhou um 9.9 e um 9.8, um desempenho melhor do que Salgueiro, Beija-Flor, Portela, Mangueira, Mocidade, São Clemente e Império da Tijuca. Procurada logo após a apuração, a professora não justificou a nota máxima e também quis falar sobre o assunto. Ao DIA, limitou-se a dizer que “estas coisas são assim mesmo”. A mãe dela, Denise Monteiro, disse que a filha não poderia dar declarações para não sofrer represálias por parte da Liesa.

Procurado pelo DIA, o presidente da Liga, Jorge Castanheira, não atendeu as ligações. De acordo com a assessoria de imprensa da Liesa, mudanças deverão ocorrer para o próximo Carnaval, mas apenas depois de reuniões com as escolas de samba, o que ainda não tem data para acontecer.

Dirigentes da Império da Tijuca%2C rebaixada para o Grupo de Acesso%2C que ficou de fora do Desfile das Campeãs%2C questionaram as notas recebidasCarlos Moraes / Agência O Dia

As justificativas, divulgadas no site da Liesa, são diversão garantida para quem não estiver envolvido emocionalmente com o resultado. Ricardo Rizzo, um dos responsáveis pelo quesito Conjunto, por exemplo, reclamou do tamanho da bancada e da falta de cachorro-quente da marca Geneal no camarote dos jurados.

Últimas de Carnaval