Vilã de 'Bom Sucesso', Sheron Menezzes diz que a maternidade a transformou

Atriz fala da volta ao trabalho após dar à luz Benjamin, de 1 ano e 10 meses, define sua ambiciosa Gisele como "cara de pau" e destaca química com o parceiro de maldades vivido por Armando Babaioff

Por Leonardo Rocha

Da esq. para a dir., Sheron Menezzes em cena com Armando Babaioff; com o marido e filho, e posando nua amamentando Benjamin
Da esq. para a dir., Sheron Menezzes em cena com Armando Babaioff; com o marido e filho, e posando nua amamentando Benjamin -

Rio - São muitos os papéis dos quais Sheron Menezzes destacaria como 'o mais importante de sua carreira'. Mas nenhum deles chegariam aos pés da arte de ser mãe, que a atriz, de 35 anos, vem experimentando desde a chegada de seu primeiro filho, Benjamin, de 1 ano e 10 meses, fruto do casamento com o empresário Saulo Bernard. "A maternidade realmente me transformou. Aflorou o que eu tinha de melhor. Me descobri uma mãe raiz, de casa mesmo. Não tenho babá, por opção, mas conto com uma rede de apoio muito importante: minha mãe, sogra e, claro, o papai dele. É uma força-tarefa", conta ela, feliz da vida, voltando ao trabalho, após a licença-maternidade, como Gisele, uma vilã pra lá de dissimulada na novela 'Bom Sucesso', da Globo.

Desmistificando o velho clichê da culpa de deixar o filho em casa para gravar, Sheron, claro, sente saudades do pequeno, mas confessa que aproveitou ao máximo o tempo que esteve em casa. "Tive o privilégio de viver um pouco mais de um ano exclusivamente para o Benji. Quando ele estava com 1 ano e 5 meses, tive de cortar o cordão, não é fácil, mas necessário. Nunca fiquei tanto tempo parada, mas queria viver intensamente a maternidade", conta, revelando a vontade de aumentar a família. "Sou mãe chiclete. Quero ter mais filhos, mas, agora, não dá. Preciso voltar a dormir primeiro", assume.

Dona de um temperamento forte, a atriz não se esquiva de mostrar sua opinião, independentemente do assunto, e, segundo ela, Benjamin tem o mesmo aspecto. "O que temos de mais parecido é o gênio. Ele é bem genioso. Mas já deixo claro para ele que a autoridade da casa sou eu", diz ela, aos risos. A rotina da estrela também está de cabeça para baixo. Afinal, gravar novela, cuidar do filho, do marido e da casa não é tarefa para qualquer um. "Tudo é muito excitante. Quando chego em casa, preciso estudar o texto e ainda cuidar de tudo. É uma jornada dupla, algo que nunca fiz. O Benjamin aprendeu a falar 'mãe'. Toda hora ele me chama. Sou praticamente uma teta ambulante", brinca.

Seu veneno é cruel

Se na vida pessoal Sheron está em paz e feliz com tudo o que conquistou ao longo dos anos, na ficção sua personagem em 'Bom Sucesso' faz de tudo para vencer na vida, nem que para isso tenha que trair a chefe e amiga, Nana (Fabiula Nascimento), com o marido dela, Diogo (Armando Babaioff). "Tem sido uma delícia, porque ela é uma grande cara de pau, uma mulher de duas caras. Eu não diria que ela é ruim, mas que tem como combustível suas ambições. Ela quer ser reconhecida. O problema é que acaba se perdendo e cometendo os maiores desatinos por amor. Cai numa relação extremamente tóxica", destaca.

Na trama da 19h, Gisele acaba usada por Diogo, que mantêm o casamento com Nana para se tornar um homem rico. A relação entre os amantes, inicialmente, parece excitante, mas, no final das contas, Gisele se apaixona pelo vilão. "Eu não defendo tudo por amor, não. É preciso estar atento aos amores tóxicos, mas quando a gente está neste caminho, não percebe. Sempre precisa que alguém te alerte para sair dessa", avalia. 

Com uma história de poder e traição, Sheron conta que os bastidores da novela são de pura amizade. "Minha relação com o Babaioff é incrível, somos amigos há muitos anos e, quando existe a admiração, tudo fica mais fácil. Gosto muito do que ele faz e temos uma química muito boa como amigos e, agora, como casal. Com a Fabiula, me identifiquei demais com ela: somos duas sulistas, extremamente diretas, que falam o que pensam", avalia. 

Pegando fogo

A relação entre Gisele e Diogo tem dado o que falar nas redes sociais. As cenas, digamos, mais apimentadas entre os amantes mostra a química dos atores em ação. "Eles têm uma coisa de pele, transam dentro da copa, ao lado da mulher dele, na sala da chefe. Não existe pudor. Têm uma cara de pau, uma falta de medo... É isso que excita o casal. O Diogo gosta de tê-la e acredito que seja capaz de descartá-la, se começar a mexer em seus planos", conta Sheron, entregando que a personagem está prestes a dar a volta por cima. "Ela vai perceber isso em algum momento e, provavelmente, vai mexer com ela a ponto de se sentir descartável", avalia.

E essa virada da personagem está prestes a acontecer, na primeira semana de outubro na novela das 19h. Cansada de se sentir usada pelo vilão, Gisele vai trair o amante com um garçom. Na noite de Natal, ela estará no bar Chapeleiro Maluco com seus amigos da editora Prado Monteiro, mas deprimida por ter sido deixada de lado por Diogo, e tenta se aproximar de um homem do estabelecimento. Os dois acabam na cama da moça e serão flagrados por Diogo, que fica uma fera. 

Superbonita

O cabelão volumoso já se tornou uma marca registrada da atriz. Para viver Gisele, ela tem usado as madeixas mais soltas e iluminadas. "Agora está superclaro, né? Vim de uma novela de época ('Novo Mundo', 2017). Ele estava preto, sem química. Agora, estou com uma franja que nunca tive, sempre usei o cabelo de lado. Uso muito preso, com a franja, que deixa a cara mais esnobe para a personagem", revela. 

Durante a gravidez, Sheron garante que engordou apenas oito quilos e, por isso, não demorou muito para voltar à forma. "Já perdi seis quilos e os outros dois continuam aqui, mas tudo bem (risos). Antes, eu fazia exercícios duas ou três vezes por dia, porque gostava. Agora, faço agachamento o dia inteiro ao pegar o filho no colo. Mas consigo, ao menos, uma vez por dia fazer algo. É um momento prazeroso meu. Fico feliz por fazer algo para mim como muay thai, balé fitness, corrida e pilates. Se a gente não se cuidar... Aliás, quando eu falo 'se cuidar' não é querer ficar magra, mas voltar o olhar para mim mesma. Não sou radical, não... Se me chamar pra uma pizzaria, eu vou sem culpa. Compensação é a palavra-chave", garante. 

 

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários