Mais Lidas

Bombardeios deixam 42 civis mortos na Síria

Reduto rebelde de Ghouta Oriental é alvo há mais de três semanas de devastadora ofensiva do regime

Por O Dia

Sírios da região rebelde de Ghouta atravessam um corredor controlado pelo regime em Hamouria, no leste de Ghouta,em direção a áreas governamentais.
Sírios da região rebelde de Ghouta atravessam um corredor controlado pelo regime em Hamouria, no leste de Ghouta,em direção a áreas governamentais. -

Beirute, Líbano - Ao menos 42 civis morreram nesta sexta-feira em bombardeios aéreos contra o reduto rebelde de Ghuta Oriental, alvo há mais de três semanas de uma devastadora ofensiva do regime sírio, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

O OSDH atribuiu os ataques à aviação russa. Apenas na localidade de Kafar Batna os ataques mataram 31 civis e deixaram mais de 100 feridos, segundo a ONG. Na localidade de Saqba foram registrados bombardeios similares que mataram 11 civis, de acordo com o OSDH.

Reforçado com o apoio militar da Rússia, o regime de Bashar al-Assad iniciou em 18 de fevereiro uma ofensiva de grande intensidade para reconquistar o último reduto rebelde nas proximidades de Damasco. Em quase um mês, os bombardeios deixaram mais de 1.200 mortos.

O governo conseguiu reconquistar mais de 70% da área. Os territórios que permanecem sob controle dos rebeldes foram divididos em três setores isolados, segundo o OSDH.

Os bombardeios do regime e das forças russas se concentram no sul do território, na localidade de Hamuriyah e seus arredores, dominado pelo poderoso grupo rebelde islamita Faylaq al-Rahman.

Ao menos 20.000 habitantes fugiram na quinta-feira da região, asfixiados pelos bombardeios, de acordo com o OSDH.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia

Comentários