Pelo menos 15 países decidiram suspender preventivamente a administração da vacina AstraZeneca
Pelo menos 15 países decidiram suspender preventivamente a administração da vacina AstraZenecaAFP
Por AFP
A Agência Europeia de Medicamentos (EMA) continua "firmemente convencida" dos benefícios da vacina da AstraZeneca contra a covid-19 - anunciou sua diretora-executiva, Emer Cooke, nesta terça-feira (16), apesar dos temores sobre possíveis efeitos colaterais até agora não demonstrados.
"Seguimos firmemente convencidos de que os benefícios da vacina da AstraZeneca na prevenção da covid-19, com seu risco associado de hospitalização e morte, superam os riscos sobre estes efeitos colaterais", disse Emer, em coletiva de imprensa.
Publicidade
Pelo menos 15 países, incluindo Alemanha, Espanha, França e Itália, suspenderam o uso da vacina da AstraZeneca preventivamente, depois que problemas sanguíneos foram relatados em pessoas vacinadas, como dificuldades de coagulação.
"Até o momento, não há provas de que a vacinação tenha causado essas afecções. Não apareceram nos testes clínicos e não contam como efeitos colaterais conhecidos, ou esperados", disse Cooke, acrescentando que a EMA leva a situação "muito a sério".
Publicidade
Os ensaios clínicos mostraram um "número muito pequeno de desenvolvimento de coágulos sanguíneos", acrescentou.
Ao ser questionada sobre as vacinas da e da Moderna, Emer Cooke afirmou que estão sendo analisados os efeitos adversos graves em "todas as vacinas".
Publicidade
O comitê de segurança da EMA se reuniu ontem, em sua sede em Amsterdã, para avaliar novas informações e deve chegar a uma conclusão durante uma reunião especial na quinta-feira (18), declarou a diretora.
O grupo de especialistas em vacinação da Organização Mundial da Saúde (OMS) também se reúne nesta terça-feira para discutir o imunizante desenvolvido pelo laboratório sueco-britânico AstraZeneca em parceria com a Universidade de Oxford.