Mais Lidas

Universidade do Texas retira estátuas confederadas de seu campus

A decisão de remover os monumentos no domingo foi tomada uma semana depois dos violentos protestos em Charlottesville, Virgínia

Por lucas.cardoso

Retirada acontece uma semana após episódios em CharlottesvilleDivulgação

Chicago - A Universidade do Texas removeu as estátuas de confederados de seu campus em Austin, em uma operação que começou durante a noite de domingo e em meio ao debate nacional sobre o que fazer com estes símbolos da época da guerra civil americana.

A decisão de remover os monumentos no domingo foi tomada uma semana depois dos violentos protestos em Charlottesville, Virgínia, liderados por supremacistas brancos e que geraram grande discussão por serem considerados uma forma de racismo.

"Os monumentos confederados se converteram em símbolos da supremacia branca moderna e do neonazismo", escreveu o presidente da universidade, Gregory Fenves, em um documento que anunciava a decisão de levar as estátuas para um museu de História do campus.

Os trabalhos de remoção começaram durante a noite para retirar os monumentos dos heróis sulistas que defendiam a escravidão, como o general Robert E. Lee, figura admirada por muitos brancos da região, mas que para outros é símbolo da defesa da escravidão.

Carro atropelou civis no sábado e deixou uma mulher morta e quase 20 feridos%2C em dia de confrontos em uma manifestação supremacista branca em Charlottesville%2C na VirgíniaAFP

Estas estátuas que datam dos tempos da guerra civil americana relembram a tentativa de separação dos estados do sul do resto do país para manter a escravidão.

"A Universidade do Texas, em Austin, tem o dever de preservar e estudar a História", disse Fenves. "Mas nosso dever também é reconhecer que essas partes de nossa história que vão contra os valores da universidade, do estado e de nossa nação, e não devem estar em pedestais", explicou.

Manifestantes derrubam estatua de soldado confederado em CharlottesvilleAFP

Um porta-voz da universidade disse ao The New York Times que os monumentos foram retirados durante a noite por razões de segurança, depois que um protesto na Virgínia pela remoção de outra estátua de Robert E. Lee terminou com a morte de uma manifestante antirracismo de 32 anos.

O fato de as estátuas continuarem em locais públicos se tornou um ponto de honra para os supremacistas brancos.

Na semana passada, o presidente Donald Trump condenou a retirada dos monumentos, dizendo que estão destruindo a História e a cultura do país.

Políticos de todos os setores criticaram Trump por sua resposta após os violentos confrontos na Virgínia.

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia