Professores que aderiram a greve não receberão salário de junho

Governo de Curitiba oferece reajuste de 3,45% agora e 8,5% em janeiro. Categoria pede 8,17% e melhores condições de trabalho nas escolas

Por karilayn.areias

Curitiba - Os 33 dias de paralisação serão descontados do salário de junho dos professores da rede estadual de ensino do Paraná que estão em greve. A decisão foi publicada nesta segunda-feira através de nota emitida pelo governo do Estado.

Ainda de acordo com o governo, a remuneração do mês de maio, foi depositada no início deste mês, mas para o próximo salário todos os dias serão descontados, independente do tempo em que a greve continuar.

Professores de Curitiba estão de greve desde o fim de abril deste ano Foto%3A Daniel Castellano / Gazeta do Povo

Além disso, o governo vem tomando algumas atitudes para tentar acabar com a greve. Entre as medidas, está contratação de novos profissionais para suprir a necessidade das escolas, o que é considerado ilegal.

A categoria reivindica reajuste de 8,17%, referente a inflação acumulada nos últimos 12 meses medida pelo IPCA e melhores condições de trabalho nas escolas. Entretanto, o estado oferece reajuste de 3,45% agora e 8,5% em janeiro.

LEIA MAIS: Professores participam de caminhada contra violência policial

Professores e policiais entram em confronto no centro de Curitiba

Uma assinatura que vale muito

Contribua para mantermos um jornalismo profissional, combatendo às fake news e trazendo informações importantes para você formar a sua opinião. Somente com a sua ajuda poderemos continuar produzindo a maior e melhor cobertura sobre tudo o que acontece no nosso Rio de Janeiro.

Assine O Dia