Por cadu.bruno
Publicado 02/06/2013 11:51 | Atualizado 02/06/2013 19:02

Rio - Um menor de 16 anos se apresentou na Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) da Favela da Rocinha, em São Conrado, Zona Sul do Rio, na madrugada deste domingo, como sendo o autor do tiro que feriu o turista alemão Frank Daniel Baijaim, de 25 anos, no início da tarde de sexta-feira.

Em depoimento na Delegacia Especial de Atendimento ao Turista (Deat), no entanto, ele acabou negando o crime e disse ter sido coagido. Os órgãos competentes estudam um pedido à Justiça para a aplicação do princípio de proteção integrada para o adolescente, com base no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA).

Major Edson Santos conduziu o menor até a delegaciaAlessandro Costa / Agência O Dia

"São versões distintas, díspares. Ele não teve participação no crime. Por fim, acabou dizendo que não foi ele quem fez o disparo e que foi coagido a assumir", revelou o titular da Deat, delegado Alexandre Braga, comparando o depoimento dada pelo amigo alemão de Frank, que estava com a vítima no momento do incidente, com o do adolescente. Dados técnicos da investigação policial também ajudaram a apontar contradição nos fatos informados pelo menor.

Segundo o comandante da UPP da Rocinha, major Edson Santos, o adolescente chegou à base da unidade por volta de 0h30. Acompanhado de um homem, identificado apenas como Álvaro, o adolescente disse que queria se entregar por ser o autor do disparo que atingiu o turista. Ele mora próximo da localidade conhecida como Roupa Suja, onde a vítima foi baleada. O adolescente também apresentou uma pistola. Ele foi levado para a Deat, no Leblon, onde está apreendido.

Alexandre Braga disse que o homem que levou o menor até a UPP é um prestador de serviços sociais na comunidade. A polícia está tentando localizá-lo. Os agentes querem saber quem entrou em contato com ela para intermediar a apresentação do adolescente na delegacia. "Precisamos apurar a relação dessas pessoas para tentar fechar esse circuito", concluiu o titular da Deat.

Entradas e saídas da Rocinha foram fechadas por PMs. Vítima está lúcida e respira sem aparelhosJosé Pedro Monteiro / Agência O Dia

A advogada que acompanhou o jovem até a delegacia também será ouvida, segundo Alexandre Braga. A polícia não informou se o adolescente tem antecedentes criminais e o calibre da pistola apreendida. A mãe do menor esteve na delegacia. Ela se limitou a dizer que não sabe do envolvimento do filho com qualquer crime e que o jovem toma conta da irmã mais nova, de 10 anos.

Frank e um amigo visitavam a Rocinha, pacificada há oito meses, quando o primeiro foi atingido por um tiro. Ele teve o tórax e o fígado perfurados. O turista permanece internado na Unidade Semi-Intensiva do Hospital Miguel Couto, na Gávea, onde foi operado. Segundo assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Saúde, até a noite deste sábado, o estado de saúde de Frank era estável, mas ainda considerado grave e inspirando cuidados. Ele respira sem aparelhos e está lúcido.

Reforço no policiamento é mantido

O major Edson Santos afirmou nesta madrugada que o policiamento permanece reforçado na Favela da Rocinha, após o incidente que vitimou o turista alemão. "Estamos trabalhando desde o início do ocorrido para prender o autor do disparo intensificando e reforçando o policiamento nos acesso à comunidade para impedir a saíde deste criminoso", disse.

O oficial da PM acredita que o monitoramento na localidade Roupa Suja, onde ocorreu o incidente de quinta-feira, será melhor quando novos investimentos governamentais foram feitos no local, considerado de difícil acesso, acesso devido ao grande número de becos e vielas.

"Não temos lá o monitoramento que existem em outros pontos da comunidade, o que nos ajuda até nas estatísticas", disse Edson Santos, informando que 84 câmeras estão espalhadas na comunidade.

Você pode gostar